Utilização de práticas agroecológicas na construção de projetos sustentáveis para a reforma agrária: um estudo de caso no assentamento Sepé Tiaraju – SP.
PDF

Palavras-chave

Agroecologia
Sustentabilidade
Reforma Agrária
Sistemas Agroflorestais

Como Citar

Nobre, H. G., Souza, T. de J. M., Junqueira, A. da C., Ramos-Filho, L. O., & Canuto, J. C. (2012). Utilização de práticas agroecológicas na construção de projetos sustentáveis para a reforma agrária: um estudo de caso no assentamento Sepé Tiaraju – SP. Revista Brasileira De Agroecologia, 7(1). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/9963

Resumo

O assentamento Sepé Tiaraju, situado na região canavieira de Ribeirão Preto (SP), constitui-se o primeiro na modalidade PDS (Projeto de Desenvolvimento Sustentável) no Estado de São Paulo e tem a agroecologia como centro da matriz tecnológica. Dentro desta proposta, o uso de Sistemas Agroflorestais (SAFs) vem constituindo-se como uma alternativa de estímulo econômico à recuperação florestal e incorporação do componente arbóreo nos sistemas produtivos dos agricultores. Este trabalho visa levantar experiências de SAFs executadas pelos assentados em seus lotes e de como as práticas agroecológicas desenvolvidas pelos mesmos vêm contribuindo para a construção de um novo modelo de assentamento. A pesquisa, realizada por intermédio de técnicas de diagnóstico rural participativo, abrangeu um conjunto de 32 famílias. Observou-se que com a elevação da diversificação dos cultivos nos SAFs os assentados aumentaram a estabilidade de seus agroecossistemas, resultando na menor dependência de insumos externos. Também constatou-se que estágios mais avançados da transição agroecológica estão sendo alcançados por assentados que fazem uso de SAFs.
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são da autoria, com direitos de primeira publicação para a revista. Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.