Diferentes Níveis de Composto de Resíduos Agroindustriais e Areia para Produção de Mudas de Pepino
PDF

Palavras-chave

Cucumis sativus.
substratos.
hortaliças.

Como Citar

Bernardi, F. H., Maccari, S., Pereira, D. C., dos Santos, R. A., Costa, M. S. S. de M., & Costa, L. A. de M. (2009). Diferentes Níveis de Composto de Resíduos Agroindustriais e Areia para Produção de Mudas de Pepino. Revista Brasileira De Agroecologia, 4(2). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/9596

Resumo

Objetivo do trabalho foi avaliar o composto e sua combinação com areia no desenvolvimento de mudas de pepino, avaliando-se os parâmetros fitométricos das plântulas bem como a qualidade dos substratos. O experimento foi instalado em bandejas de 200 cavidades. O delineamento foi em blocos casualizados, com 4 repetições. Os 5 tratamentos envolveram substrato comercial Plantmax®, composto orgânico e areia. Foram avaliadas emergência de plântulas (EP), comprimento de raiz (CR), massa seca de raiz (MSR), massa seca da parte aérea (MSPA). O CR foi significativo, com resultados satisfatórios em T2 superando T0 sendo semelhante a T3 aos 20 DAS. As plantas originadas dos substratos T1, T2 e T3 produziram MSPA superior ao T4 e T0. O composto orgânico utilizado para compor os substratos alternativos foi responsável pelo aumento de MSPA pelo fornecimento de nutrientes as plantas. Os substratos T1, T3 e T4 proporcionaram CR superior em relação a T0. Os resultados observados nos parâmetros avaliados permitiram concluir que a utilização de compostos orgânicos + areia, podem ser utilizados na produção de mudas de pepino.
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são dos autores, com direitos de primeira publicação para a revista.

Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.