Comparação da Mistura de Componentes de Origem Orgânica e Mineral Para Uso Como Biofertilizantes
PDF

Palavras-chave

Nutrição vegetal
esterco bovino
húmus de minhoca
cinzas e pó de rocha

Como Citar

José Loureiro Marinho, F., Dantas Fernandes, J., Fernandes Monteiro Filho, A., Carneiro Tavares, A., Aparecida vicente da Silva Souza, G., & do Socorro Bezerra Duarte, M. (2009). Comparação da Mistura de Componentes de Origem Orgânica e Mineral Para Uso Como Biofertilizantes. Revista Brasileira De Agroecologia, 4(2). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/9470

Resumo

Objetivou-se neste trabalho avaliar a variação da salinidade e do pH da mistura de componentes de origem orgânica e mineral com potencial para uso como biofertilizante (utilizados imediatamente após o preparo) no sistema agroecológico de produção. O experimento foi desenvolvido em esquema fatorial 2x8, cujo primeiro fator foi constituído por esterco curtido (200g.L-1) ou húmus de minhoca (200g.L-1) combinados com MB4 (pó-de-rocha) ou cinzas de madeiras nas concentrações de 10, 20, 30, e 40 g.L-1. A adição crescente de cinzas de madeira causou elevação significativa do pH (em todas as avaliações realizadas) e da salinidade (concentrações de 40 g.L-1) dos biofertilizantes. Biofertilizantes compostos com esterco bovino curtido (200g.L-1) apresentaram elevado potencial salino. A utilização de húmus de minhoca e do MB4 apresentam menores riscos de elevação de pH e da salinidade do que a utilização de esterco bovino curtido e cinza de madeira.
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são dos autores, com direitos de primeira publicação para a revista.

Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.