Práticas Agrícolas Alternativas Empregadas pelos Agricultores Familiares da Microrregião de Andradina (SP) e a sua Correlação com Sistemas Agroecológicos: Possibilidades e Entraves
PDF

Palavras-chave

Agricultura familiar
transição agroecológica
fitossanidade
adubação

Como Citar

Cavalcanti da Silva, F., Lázaro Sant’Ana, A., Heloisa Maia, A., Rodrigues Martins, M. R., Araujo Gonzaga, D., & Soares Filho, I. (2009). Práticas Agrícolas Alternativas Empregadas pelos Agricultores Familiares da Microrregião de Andradina (SP) e a sua Correlação com Sistemas Agroecológicos: Possibilidades e Entraves. Revista Brasileira De Agroecologia, 4(2). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/9311

Resumo

O objetivo deste artigo consiste em discutir os resultados obtidos por meio da pesquisa “Estratégias diferenciadas de produção e comercialização dos produtores familiares da microrregião de Andradina-SP“, no que tange, sobretudo, à exploração vegetal dentre os lotes/propriedades pesquisados e assim discutir aspectos relacionados ao emprego de práticas que substituem o uso convencional de agroquímicos e a sua correlação com aspectos próprios da Agroecologia. Por meio de questionários e observação direta, foram pesquisados 50 produtores familiares, nos municípios de Ilha Solteira, Castilho, Pereira Barreto e Andradina (SP). A pesquisa permitiu verificar que 38% dos agricultores pesquisados utilizam sistemas de cultivo isentos de insumos químicos; outros, embora os utilizem, também empregam técnicas alternativas no que tange à fitossanidade e à adubação das culturas. Constatou-se forte interesse dos produtores em relação aos aspectos próprios da Agroecologia (que identificam como agricultura orgânica), embora careçam de conhecimento a respeito dos fundamentos dos processos agroecológicos.
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são dos autores, com direitos de primeira publicação para a revista.

Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.