Metodologias Participativas: Uma Alternativa Para O Estudo De Agroecossistemas Com Barragens Subterrâneas No Semiárido
PDF

Palavras-chave

agroecologia
diálogo
agricultura familiar

Como Citar

Barbosa Ferreira, G., Chaves, V. C., Moreira, M. M., Lopes da Silva, M. S., Baptista da Costa, M. B., Alves, C. de A., & Santos Mendonça, C. E. (2009). Metodologias Participativas: Uma Alternativa Para O Estudo De Agroecossistemas Com Barragens Subterrâneas No Semiárido. Revista Brasileira De Agroecologia, 4(2). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/9258

Resumo

O objetivo desse trabalho foi discutir as limitações e potencialidades das metodologias participativas, quando aplicadas no diagnóstico e análise de cinco agroecossistemas com barragens subterrâneas, nos Estados da Bahia, Pernambuco e Paraíba, região Nordeste do Brasil. A barragem subterrânea vêm transformando a realidade da agricultura familiar dependente de chuva principalmente em relação ao prolongamento das atividades na agricultura para o período “seco”. As metodologias participativas facilitam a análise e compreensão das interações do ambiente de uma forma sistêmica quando promovem um diálogo profundo entre os agricultores e os pesquisadores. As metodologias utilizadas foram baseadas no MESMIS e no Diagnóstico Rural Participativo, mostrando-se eficientes na geração de conhecimentos para o diagnóstico e avaliação de agroecossistemas, principalmente quando utilizadas em famílias que tinham uma participação social efetiva (religiosa, cultural e/ou política).
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são dos autores, com direitos de primeira publicação para a revista.

Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.