Sementes Crioulas: Caminho para Transição Agrocoelógica
PDF

Palavras-chave

agrobiodiversidade
agricultura familiar
Paraná e Santa Catarina

Como Citar

Jantara, A. E., & Almeida, P. (2009). Sementes Crioulas: Caminho para Transição Agrocoelógica. Revista Brasileira De Agroecologia, 4(2). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/9183

Resumo

Desde 1994, a AS-PTA tem atuação no Centro-Sul do Paraná e no Planalto Norte catarinense em parceria com organizações locais da agricultura familiar e instituições de ensino, da pesquisa e extensão rural. É uma região agrícola de base familiar diversificada, orientada para o policultivo. Nas últimas duas décadas, a agricultura familiar da região passou por um processo intenso de mudanças nos padrões produtivos traduzindo-se na sua crescente subordinação à lógica produtiva das cadeias agroindustriais do fumo, aves, suínos, soja e pinus. As sementes crioulas tem sido a base para a transição agroecológica dos sistemas. Na região formou-se uma rede social de resgate, troca de conhecimentos, conservação, comercialização e uso da agrobiodiversidade regional pautada na agroecologia que envolve mais de 3.000 famílias de agricultores que já resgataram 452 variedades de sementes de milho, feijão, arroz, trigo, centeio, amendoim, cebola, alho, batatinha e mandioca, adubos verdes e algumas hortaliças.
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são dos autores, com direitos de primeira publicação para a revista.

Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.