Qualidade Fisiológica De Sementes De Milho (Zea Mays) E Sorgo (Sorghum Bicolor) Crioulos Produzidas Nos Campos De Sementes De Agricultores (as) Familiares De Porteirinha, Norte De Minas Gerais.
PDF

Palavras-chave

milho
sorgo
sementes crioulas
qualidade fisiológica.

Como Citar

Platão, G. P. R. G., Silva, N. C., Dourado, E. R., Silva, M. T., Brandão, D. J., & Santos, G. B. (2009). Qualidade Fisiológica De Sementes De Milho (Zea Mays) E Sorgo (Sorghum Bicolor) Crioulos Produzidas Nos Campos De Sementes De Agricultores (as) Familiares De Porteirinha, Norte De Minas Gerais. Revista Brasileira De Agroecologia, 4(2). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/9095

Resumo

O objetivo do trabalho é de validar técnicas desenvolvidas por produtores (as) familiares de sementes crioulas através das análises fisiológicas dos materiais produzidos em suas propriedades, visto que essas técnicas ocorrem de forma artesanal. Foi avaliada a qualidade fisiológica das sementes de 6 variedades de milho e de 23 variedades de sorgo crioulo, comparando-as com padrões estabelecidos pela legislação de sementes. Sendo que das variedades de milho analisadas todas são viáveis a comercialização, pois ficaram com a porcentagem de germinação acima de 85%. A variedade Vinhedo proveniente da propriedade 2 se destacou no teste obtendo 100% de germinação. Já para as sementes de sorgo, 14 variedades ficaram com a porcentagem de germinação acima do estabelecido pelo padrão de produção (80%). A variedade Amarelão proveniente da propriedade 8 obteve o maior percentual de germinação (98%) e índice de velocidade de germinação. A variedade Amarelão pertencente à propriedade 5 apresentou os menores valores para a primeira (4°) e segunda contagem (7º), e para o IVG. Os dados foram submetidos à analise de variância e as médias comparadas pelo teste Scott-Knott (5%).
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são dos autores, com direitos de primeira publicação para a revista.

Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.