A Expansão da Monocultura do Eucalipto no Norte de Minas Gerais: Uma abordagem Etnoecológica da Comunidade Cana Brava
PDF

Como Citar

de Almeida Silva, N. C., Machado Jardim Rocha, J., Alvarenga, A. C., Platão Rocha, G., & Salles Teixeira, T. (2009). A Expansão da Monocultura do Eucalipto no Norte de Minas Gerais: Uma abordagem Etnoecológica da Comunidade Cana Brava. Revista Brasileira De Agroecologia, 4(2). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/9071

Resumo

Por meio de técnicas metodológicas sob a perspectiva etnoecológica, foi realizado o estudo dos geraizeiros de Cana Brava, com a finalidade de conhecer a sua percepção ambiental e as suas estratégias após a introdução dos monocultivos de eucalipto na região. Os sistemas de produção desses geraizeiros consistem de lavouras diversificadas de milho, mandioca, cana, abóboras, amendoim, abacaxi, hortaliças, café, feijão, arroz, criação de gado, aves e suínos, além da produção de rapadura e farinha. A diversidade de ambientes do Cerrado fazia parte da estratégia produtiva fornecendo, de forma extrativista, forragem para o gado, madeira, lenha, frutos, mel e medicamentos. Como estratégia de sustento, após a introdução do eucalipto na região, alguns geraizeiros tornaram-se carvoeiros e outros migraram para cidades vizinhas. O ordenamento do espaço, realizado pelos geraizeiros, demonstram a acentuada percepção ambiental, mas há necessidade de introduzir manejos sustentáveis para as lavouras.
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são dos autores, com direitos de primeira publicação para a revista.

Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.