CARACTERÍSTICAS QUÍMICAS DE UM LATOSSOLO BRUNO APÓS QUATRO ANOS DE ADIÇÃO DE PÓ DE BASALTO E BIOFERTILIZANTES
PDF

Palavras-chave

Pó de rocha
biofertilizantes
adubo da independência.

Como Citar

Michalovicz, L., Kölln, O. T., Meert, L., Nascimento, R., & Müller, M. M. L. (2009). CARACTERÍSTICAS QUÍMICAS DE UM LATOSSOLO BRUNO APÓS QUATRO ANOS DE ADIÇÃO DE PÓ DE BASALTO E BIOFERTILIZANTES. Revista Brasileira De Agroecologia, 4(2). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/8967

Resumo

Este trabalho avaliou efeitos de fontes alternativas de nutrientes em atributos químicos do solo e produção agrícola. O experimento iniciou-se em 2005 no Campo Experimental da UNICENTRO, com 4 tratamentos: T1=NPK recomendado para a cultura; T2=T1+2.000 kg pó de basalto ha-1; T3=4.000 kg pó de basalto ha-1+biofertilizante uréia líquida (foliar), resultante da diluição de esterco e soro de leite em água; T4=1000 kg adubo da independência ha-1+supermagro (foliar). As análises químicas do solo realizadas após o cultivo de milho (2008) e soja (2009) mostraram efeito significativo dos tratamentos sobre os níveis de K e P do solo (0-10 cm). T2, que recebeu NPK mais pó de basalto por 4 anos seguidos, apresentou teores de K estatisticamente maiores que os do tratamento T3 na camada de 0-10cm. Os teores de P foram significativamente superiores em T2 e T3 em comparação a T4 no ano de 2008, indicando uma disponibilização de P pelo pó de basalto maior, quando comparada à disponibilidade indicada pela extração em água + CNA + ácido cítrico.
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são dos autores, com direitos de primeira publicação para a revista.

Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.