Sanidade de sementes crioulas de mamona
PDF

Palavras-chave

Sanidade de sementes
Ricinus communis L.
Fusarium sp.
Penicillium sp.
Aspergillus sp. Sanidade de sementes

Como Citar

Nascimento, A. L., Martins, C. P., Magalhães, H. M., Sales, N. L., Escobar, Ágatha C., & Brandão, A. A. (2009). Sanidade de sementes crioulas de mamona. Revista Brasileira De Agroecologia, 4(2). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/8812

Resumo

As sementes crioulas constituem uma das maiores riquezas do agricultor familiar, uma vez que produz plantas adaptadas às regiões de plantio evitando a necessidade de adoção de pacotes tecnológicos. Este trabalho teve como objetivos identificar e quantificar as espécies de microrganismos associados às sementes crioulas de mamona procedentes de comunidades rurais do Norte de Minas Gerais (Montes Claros, Buritizeiro e Serranópolis de Minas) e da cultivar Al Guarany 2002 através dos métodos “Blotter test” e BDA (Batata-dextrose-ágar). Empregou-se o delineamento experimental inteiramente casualizado com 4 repetições e 12 sementes por parcela em esquema fatorial 4x2. No geral, os microrganismos que ocorreram nas sementes de mamona foram Aspergillus niger (3,91%), Fusarium sp. (64,06%), Penicillium sp. (61,2%) Aspergillus flavus (4,17%) e actinomiceto (41,93%). A interação meio de cultura e procedência da semente foi significativa apenas para actinomicetos.
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são dos autores, com direitos de primeira publicação para a revista.

Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.