Avaliação da Mão-de-obra de Detentos em Projeto de Reflorestamento no Município de Cachoeiras de Macacu, Rio de Janeiro
PDF

Palavras-chave

meio Ambiente
reflorestamento
ressocialização
apenados

Como Citar

Damasceno de Azevedo, A., Böer Breier, T., Rocha Francelino, M., dos Santos Leles, P. S., & da Silva Uchôas, E. (2009). Avaliação da Mão-de-obra de Detentos em Projeto de Reflorestamento no Município de Cachoeiras de Macacu, Rio de Janeiro. Revista Brasileira De Agroecologia, 4(2). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/8761

Resumo

Este trabalho teve como objetivo abordar o tema da ressocialização de apenados (detentos) do regime aberto e semi-aberto no âmbito do Projeto de Reflorestamento da Bacia Hidrográfica do Rio Macacu, no Município de Cachoeiras de Macacu, Estado do Rio de Janeiro. Foi Avaliada a evolução do rendimento destes trabalhadores no campo, que iniciaram a reintrodução na sociedade a partir da questão ambiental. Estes detentos são oriundos de uma Colônia Agrícola e foram selecionados e convidados a fazer um curso de preparação para se tornarem “Agentes de Reflorestamento”. Este trabalho foi uma iniciativa da Empresa Estatal Nova CEDAE em convênio com outros órgãos públicos para unir a atividade de reflorestamento com a mão-de-obra de detentos. Esta mão-de-obra, inicialmente, não apresentava qualificação, mas, no decorrer das atividades, alcançaram significativa produtividade. Foi constatada a abertura de 2,67m de vala/homem/dia nos primeiros dias de trabalho e 9,43m no fim da atividade, bem como o plantio de 100 a 150 mudas/homem/dia.
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são dos autores, com direitos de primeira publicação para a revista.

Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.