Desenvolvimento de Metodologias Participativas para Controle Biológico da Pinta Preta do Citros
PDF

Palavras-chave

citricultura
desenvolvimento participativo
tecnologias sociais.

Como Citar

da Rocha Ferreira, L., da Silva Pettenon, L., & Dal Soglio, F. K. (2009). Desenvolvimento de Metodologias Participativas para Controle Biológico da Pinta Preta do Citros. Revista Brasileira De Agroecologia, 4(2). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/8525

Resumo

Este trabalho integra um programa de geração de tecnologias sociais com base em metodologias participativas. A partir da demanda dos citricultores ecológicos do Vale do Caí, o projeto inciado em 2006, visa alternativas de controle para a doença da Pinta Preta do Citros (PPC), causada por Guignardia citricarpa, em pomares de bergamota conduzidas em manejo agroecológico. O presente resumo tem por objetivo apresentar o trabalho que vem sendo realizado no âmbito de encontrar alternativas de controle de moléstias em plantas de citros, de modo que o equilíbrio do sistema seja pouco afetado, respeitando o conhecimento dos agricultores tradicionais e proporcionando acesso às tecnologias desenvolvidas. Um agente conhecido de controle biológico de G. citricarpa é o fungo filamentoso Trichoderma sp. Foram isoladas colônias deste microrganismo, o qual vem sendo produzido massalmente em laboratório e está sendo testado nos pomares. Contudo, sua reprodução ainda depende de materiais e equipamentos caros não sendo de fácil acesso aos agricultores. Neste sentido, também passou a ser necessário gerar metodologias de cultivo de microrganismos de baixo custo, adequadas às condições locais. É importante que os citricultores possam se apropriar da tecnologia. Outros organismos com potencial antagônico já foram encontrados e dois meios de cultura, um obtido com folhas de cactos e outro de caldo de casca de laranja, mostraram-se boas alternativas para a problemática de reprodução acessível de microrganismos
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são dos autores, com direitos de primeira publicação para a revista.

Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.