Escória de Siderurgia e Pó de Basalto na Fertilização de Solos
PDF

Palavras-chave

silício
bases trocáveis
fertilizantes

Como Citar

Santos Gutierrez, R., & Ferreira Inocêncio, M. (2009). Escória de Siderurgia e Pó de Basalto na Fertilização de Solos. Revista Brasileira De Agroecologia, 4(2). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/8447

Resumo

Uma alternativa de fornecimento de nutrientes as plantas podem ser o uso de subprodutos de indústrias e pedreiras, como a escória de siderurgia e o pó de basalto. A fim de verificar a influência destes materiais foram conduzidos três experimentos, sendo dois em casa-de-vegetação, um com milho e o outro com sorgo, com aplicação de doses de fosfato monossódico na presença e na ausência de escória de siderurgia. Foram avaliados os teores de fósforo e silício no tecido vegetal. O terceiro experimento foi realizado em laboratório, com três solos e doses de pó de basalto e incubados durante 90 dias, sendo avaliadas as bases trocáveis. A aplicação tanto de fósforo como de escória promoveu maiores teores de silício na parte aérea das plantas. No pó de basalto houve acréscimos nos teores de bases trocáveis em todos os solos, principalmente no menos tamponado.
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são dos autores, com direitos de primeira publicação para a revista.

Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.