Uma Crescente Ameaça Conservação da Biodiversidade: O reflorestamento com espécies exóticas em Lages
PDF

Palavras-chave

Floresta Ombrófila Mista
Florestas Homogêneas
Pinus e Unidade de Conservação

Como Citar

Peruchi Moretto, S. (2009). Uma Crescente Ameaça Conservação da Biodiversidade: O reflorestamento com espécies exóticas em Lages. Revista Brasileira De Agroecologia, 4(2). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/8362

Resumo

A Floresta Ombrófila Mista (FOM) ocupava grande parte do planalto catarinense, mas sua área foi fragmentada e reduzida aos limites mínimos na primeira metade do século XX. O desmatamento em grande escala fez com que as madeireiras procurassem uma nova opção para a busca de matéria prima, com arvores exóticas que foi o reflorestamento com Pinus. O objetivo deste trabalho é mostrar como o reflorestamento na região de Lages, que se iniciou na década de 1970, colocou em risco a biodiversidade local em função da implementação de florestas homogêneas composta por espécies exóticas invasoras. Para fazer este trabalho será feita a analise de dados do reflorestamento, da legislação florestal, de documentos do IBGE e do plano de Manejo do Parque Ecológico João José Theodoro da Costa Neto. Mostrando assim, como o Pinus é prejudicial não apenas por causar esgotamento no solo, e acabar com a fauna nativa, mas também por impedir a recomposição dos bosques nativos.
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são dos autores, com direitos de primeira publicação para a revista.

Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.