Produção de Alface em Função do Efeito Residual de Adubação Orgânica
PDF

Palavras-chave

Lactuca sativa
compostagem
eficiência produtiva

Como Citar

Queiroga de Oliveira, E., de Souza, R. J., Leandra Vicentina dos Reis Leite, L., & Lopes dos Santos, R. (2009). Produção de Alface em Função do Efeito Residual de Adubação Orgânica. Revista Brasileira De Agroecologia, 4(2). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/8341

Resumo

Avaliou-se, neste trabalho, o comportamento de cultivares de alface sob o efeito residual de adubação orgânica. O experimento foi conduzido no setor de Olericultura - DAG, da Universidade Federal de Lavras - UFLA, MG. Utilizou-se o esquema fatorial 5 x 4 em delineamento de blocos casualizados, com três repetições. A área foi adubada para o cultivo de alho aos 35 e 70 dias após emergência das plântulas de alface. Os tratamentos constaram de doses de bokashi (0; 500; 1.000; 1.500 e 2.000 g/m2) e cultivares de alface (Simpson, Mariane, Vera e Hortência). Avaliou-se altura (AP) e número de folhas por planta (NFP), rendimento de massa verde (RMV) e massa seca da parte aérea (MSPA). Não se observou efeito de cultivares de alface e doses de bokashi na altura e número de folhas por planta. Houve efeito significativo para o RMV e MSPA. Para estas características, a cultivar Mariane não diferiu das demais, enquanto Vera e Hortência foram estatisticamente superiores a Simpson.
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são dos autores, com direitos de primeira publicação para a revista.

Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.