A Perspectiva de Gênero e da Economia Solidária na Prática Organizativa das Pescadoras do Projeto Mulheres de Ponta, Balneário de Ponta da Fruta, Vila Velha, ES.
PDF

Palavras-chave

Pescado Processado
Pescadoras
Geração de Renda Alternativa.

Como Citar

Marim Aoki, P. C., Cunha, L. S., & Cunha, K. S. (2009). A Perspectiva de Gênero e da Economia Solidária na Prática Organizativa das Pescadoras do Projeto Mulheres de Ponta, Balneário de Ponta da Fruta, Vila Velha, ES. Revista Brasileira De Agroecologia, 4(2). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/8273

Resumo

Esta experiência que tem por referencial a economia solidária no estado do Espírito Santo foi iniciada em 2008 e apoiou-se na atuação dos extensionistas multidisciplinares do Incaper junto à Associação de Pescadores (as) da Ponta da Fruta em Vila Velha e, visou gerar renda alternativa para as famílias associadas, em virtude da crescente escassez do pescado capturado. Por meio de metodologias participativas e práticas organizativas embasadas no gênero e na economia solidária foi formado o Projeto Mulheres de Ponta, constituído hoje por seis pescadoras, que processam o pescado e produzem embutidos, defumados e salgados. O grupo utiliza a Sede da Associação, composta de uma peixaria com câmara fria e área social, antes subutilizada, para produzir e comercializar seus processados, também vendidos em domicílio, feiras, eventos, bares e restaurantes. Essa iniciativa promoveu o desenvolvimento local sustentável, a profissionalização, a autonomia e a inclusão produtiva destas pescadoras.
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são dos autores, com direitos de primeira publicação para a revista.

Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.