Decomposição e Liberação de Nitrogênio de Duas Espécies de Adubos Verdes Manejados no Período Seco em Cafezal Orgânico
PDF

Palavras-chave

Labe-labe
feijão-de-porco
Coffea arabica

Como Citar

Santos, R. H. S., Siqueira, R. G., Lima, C. T. de A., de Almeida, A. R., Pedrosa, A. W., & de Oliveira, C. S. (2009). Decomposição e Liberação de Nitrogênio de Duas Espécies de Adubos Verdes Manejados no Período Seco em Cafezal Orgânico. Revista Brasileira De Agroecologia, 4(2). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/8235

Resumo

Dentro do manejo agroecológico, uma das práticas mais difundidas é a adubação verde. A presença das leguminosas nas entrelinhas do cafezal pode propiciar a liberação de nutrientes como o nitrogênio, reduzindo os custos de produção e colaborando para a independência dos agricultores de insumos industriais. O objetivo desse trabalho foi avaliar a decomposição da massa e liberação de N de duas espécies de adubos verdes no início do período seco em cafezal sob manejo orgânico. O experimento foi conduzido na Horta de Pesquisa da Universidade Federal de Viçosa- MG. O experimento foi instalado em esquema fatorial (2x9), sendo 2 espécies (feijão-de-porco e labe-labe), 9 datas de coleta com 4 repetições. As leguminosas foram cortadas aos 120 dias após plantio, em maio de 2008. As variáveis avaliadas foram a decomposição da massa e o teor de nitrogênio na massa remanescente em cada data de coleta do material. Aos 60 dias após o corte das leguminosas (DAC), apenas 29% do feijão-de-porco e 41% da labe-labe foram decompostos. O T1/2 da massa do labe-labe e feijão-de-porco foram de 69 e 138 dias, respectivamente. Aos 60 DAC, 48,8 e 30,4% do N-total do feijão-de-porco e labe-labe, foram liberados, respectivamente. O T1/2 estimado do N do labe-labe e feijão-de-porco foi 99 e 87 DAC, respectivamente. A decomposição da labe-labe foi mais rápida que a decomposição do feijão-de-porco, contudo a liberação de N apresentou comportamento inverso.
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são dos autores, com direitos de primeira publicação para a revista.

Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.