Estacionalidade das Parasitoses Gastrintestinais de Bezerros Mestiços (Holandês X Zebu) Criadas em Sistema Agroecologico
PDF

Palavras-chave

contaminação sazonal
gado leiteiro
helmintoses
pastejo rotacionado

Como Citar

DA SILVA, J. B., RANGEL, C. P., FAGUNDES, G. M., SOARES, J. P. G., & DA FONSECA, A. H. (2009). Estacionalidade das Parasitoses Gastrintestinais de Bezerros Mestiços (Holandês X Zebu) Criadas em Sistema Agroecologico. Revista Brasileira De Agroecologia, 4(2). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/8173

Resumo

O objetivo do presente estudo foi conhecer a distribuição estacional dos nematóides gastrintestinais em bezerros mestiços (Holandês x Zebu) criados em sistema de produção orgânica. Foram utilizados 12 bezerros, com idade entre 1 e 12 meses, durante o período de fevereiro de 2007 a janeiro de 2009. Utilizou-se a contagem de ovos por grama de fezes (OPG) para mensurar a carga parasitária dos animais, coprocultura para recuperar as larvas de terceiro estágio e identificação dos gêneros em microscópio óptico. O número de OPG variou de 167 a 480, caracterizando grau de infecção leve e moderado. A partir da coprocultura identificaram-se larvas de três gêneros de helmintos pertencentes superfamília Trichostrongyloidea, sendo Haemonchus (73%); Trichostrongylus (24%) e Oesophagostomum (3%). O sistema de manejo orgânico empregado na Fazendinha Agroecológica foi capaz de manter os animais em nível de infecção segura, sendo necessário estar à condição de alerta a possíveis surtos de helmintoses.
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são dos autores, com direitos de primeira publicação para a revista.

Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.