Comportamento de Genótipos de Feijão à Meloidogyne incognita raça 3
PDF

Palavras-chave

Phaseolus vulgaris L.
Nematóide das galhas
Fator de reprodução.

Como Citar

Nazário Silva dos Santos, L., Diego Silva Cabral, P., de Pina Matta, F., Ramos Alves, F., Valadares Junior, R., Fanchiotti Del Caro, C., & Leoni Belan, L. (2009). Comportamento de Genótipos de Feijão à Meloidogyne incognita raça 3. Revista Brasileira De Agroecologia, 4(2). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/8064

Resumo

Objetivou-se com esse trabalho estudar a reação de sete genótipos de Phaseolus vulgaris L. ao parasitismo de Meloidogyne incognita raça 3. Inicialmente foi feito o resgate de genótipos de feijão no Sul do Espírito Santo. Vinte e cinco dias após o semeio, inoculou-se os mesmos com 2000 ovos. Após trinta e seis dias contabilizou-se a população final de nematóides e, com isso, determinou-se a % de redução do fator de reprodução. Assim, recomenda-se utilizar os genótipos resgatados “FORT-10”, “FORT-13”, “FORT-16” e o padrão de resistência “Aporé” em áreas infestadas com M. incognita raça 3. Entretanto, deve-se evitar o plantio dos genótipos “Rico-23” (padrão de susceptibilidade), “Pérola” (comercial) e “FORT-19” (resgatado), já que esses apresentaram alta reprodução desse parasita. Assim, o produtor evitará a utilização de produtos químicos, reduzirá o custo de produção, preservará o meio ambiente e reduzirá os danos a saúde humana.
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são dos autores, com direitos de primeira publicação para a revista.

Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.