Tratamento Térmico na Qualidade Fisiológica e Sanitária de Sementes de Azevém
PDF

Palavras-chave

Lolium multiflorum
termoterapia
calor úmido
sanidade
germinação

Como Citar

Girardi, L. B., Feliciano dos Santos, R., Durigon, M. R., Gonzatto Maciel, C., Brião Muniz, M. F., Blume, E., & Nevis Deconto Weber, M. (2009). Tratamento Térmico na Qualidade Fisiológica e Sanitária de Sementes de Azevém. Revista Brasileira De Agroecologia, 4(2). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/8063

Resumo

Este trabalho teve como objetivo avaliar o efeito do tratamento de sementes de azevém através do uso da termoterapia, calor úmido, sobre a qualidade fisiológica e sanitária das mesmas. As sementes foram imersas em água, a uma temperatura de 60 oC, por 5, 10 e 15 min para compor os tratamentos, além da testemunha, que não foi imersa em água. Após, as sementes foram colocadas sobre duas folhas de papel filtro, umedecidas com água estéril, dentro de caixas gerbox. Aos sete dias de incubação, a 25 oC e fotoperíodo de 12h, foi avaliada a presença de fungos. A germinação foi avaliada aos 5 e 14 dias após a semeadura. No teste de sanidade, somente houve diferença entre os tratamentos para o fungo Penicillium spp., em que o melhor tempo de imersão das sementes em água foi o de 5 min. Houve decréscimo na percentagem de germinação e na percentagem de germinação na primeira contagem, e acréscimo na percentagem de sementes duras, com o tempo de imersão.
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são dos autores, com direitos de primeira publicação para a revista.

Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.