Eficiência de extratos glicólicos de plantas para o controle alternativo de Myzus persicae em pimenteira.
PDF

Palavras-chave

manejo integrado de pragas
pulgão verde
agricultura orgânica
Capsicum baccatum.

Como Citar

Moreno, M. B., Ueno, B., Junges, E., Kirinus, G. de P., & Camargo, R. da R. (2009). Eficiência de extratos glicólicos de plantas para o controle alternativo de Myzus persicae em pimenteira. Revista Brasileira De Agroecologia, 4(2). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/8030

Resumo

Este trabalho objetivou avaliar a eficiência de extratos glicólicos de diferentes espécies vegetais sobre o pulgão verde (Myzus persicae) em pimenteiras. O bioensaio foi conduzido em laboratório, onde folhas de pimenteira (Capsicum baccatum var. pendulum) foram imersas por 5 segundos nos extratos glicólicos a 1%, no inseticida tiametoxam (0,04 g/L) e em água. As folhas foram colocadas sobre um disco de papel filtro umedecido, dentro de placas de Petri descartáveis vedadas com parafilme. Cada placa contendo uma folha com dez pulgões foi incubada a 25°C e fotofase de 12 horas. Após 24, 48 e 72 horas, foi avaliado o número de pulgões mortos e depois de 72 horas, o número total de indivíduos mortos e vivos. Dos extratos testados pfaffia, hera, jaborandi, sálvia e erva-doce mostraram maior potencial inseticida, mas foram menos eficientes que o tiametoxam. A maioria dos tratamentos não inibiu a reprodução de pulgão, com exceção de tiametoxam.
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são dos autores, com direitos de primeira publicação para a revista.

Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.