A Importância da Atividade Extrativista Não Madeireira no Projeto de Assentamento Agroextrativista Praialta e Piranheira – Nova Ipixuna-PA
PDF

Palavras-chave

Extrativismo
Amazônia
Sustentabilidade

Como Citar

Pereira, F. D., Corrêa, H. de S., Nascimento, S. F., Araújo, R. L. de, & Mello, A. H. de. (2009). A Importância da Atividade Extrativista Não Madeireira no Projeto de Assentamento Agroextrativista Praialta e Piranheira – Nova Ipixuna-PA. Revista Brasileira De Agroecologia, 4(2). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/7961

Resumo

O trabalho foi realizado no Projeto de Assentamento Agroextrativista Praialta e Piranheira (PAE), núcleos Cupu e Maçaranduba I, localizados no Município de Nova Ipixuna, sudeste do Estado do Pará, sendo que este é o único assentamento da região que possui atividades agroextrativistas. Para a identificação da atividade extrativista não madeireira foi aplicado um questionário de Diagnóstico de Sistemas Agrários aplicados a 24 famílias, com o objetivo de identificar e caracterizar as famílias que praticam o extrativismo de produtos florestais não madeireiros (PFNM); identificar as espécies usadas pela comunidade; verificar a utilização e importância para família e comunidades. Nos núcleos Cupu e Maçaranduba I os principais PFNM explorados são Cupuaçu (Theobroma grandiflorum), Castanha do Brasil (Bertholletia excelsa), Açaí (Euterpe oleracea) e Andiroba (Carapa guianensis).
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são dos autores, com direitos de primeira publicação para a revista.

Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.