Flutuação Populacional de Cigarrinha-verde na Cultura da Mamona em Irecê e Barra do Choça, Bahia.
PDF

Palavras-chave

Ricinus communis
Empoasca kraemeri
Euforbiácea

Como Citar

de Santana dos Santos, Z., de Lourdes Nascimento, M., Murielle Santos de Menezes, A., Rebouças São José, A., O.Menezes Jr., A., Maria de Carvalho, J., C. Lins Junior, J., & V. B. Souza, I. (2009). Flutuação Populacional de Cigarrinha-verde na Cultura da Mamona em Irecê e Barra do Choça, Bahia. Revista Brasileira De Agroecologia, 4(2). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/7939

Resumo

A maioria dos cultivos de mamona é realizada por agricultores familiares, que detêm mais de 80% da área plantada. Este trabalho objetivou estudar a flutuação populacional da cigarrinha verde Empoasca kraemeri em áreas cultivadas com mamona em consórcio e em mono cultivo. Em Irecê as avaliações foram feitas em plantios comerciais de mamona da variedade Coti, em Barra da Choça o experimento foi instalado numa área experimental da EBDA, as amostragens foram realizadas mensalmente nas duas localidades. Fez-se delineamento em blocos casualizados com 5 repetições, parcelas com 50 plantas em 5 linhas. Ninfas e adultos de cigarrinha eram contados nos estratos das plantas. A cigarrinha é um inseto polífago que ocorre o ano inteiro na cultura da mamona, sua população é influenciada por fatores climáticos. As maiores populações de cigarrinha ocorreram em Irecê nos meses de dezembro a fevereiro quando houve maior precipitação pluviométrica, e em Barra do Choça nos meses de maio a julho.
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são dos autores, com direitos de primeira publicação para a revista.

Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.