Desenvolvimento de Mudas de Beterraba em Diferentes Substratos Orgânicos
PDF

Palavras-chave

pó de basalto
produção orgânica
Beta vulgaris L.

Como Citar

Spiassi, A., Rubio, F., Koelln, F. T. dos S., Benatto Junior, J. C., Costa, L. A. de M., Mendonça, M. S. S. de, & Paz, J. da C. S. (2009). Desenvolvimento de Mudas de Beterraba em Diferentes Substratos Orgânicos. Revista Brasileira De Agroecologia, 4(2). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/7902

Resumo

A obtenção de mudas de boa qualidade é um dos fatores fundamentais para qualquer cultura. O objetivo deste trabalho foi avaliar o desenvolvimento de plantas de beterraba submetidas a cinco diferentes substratos. Os tratamentos consistiram de: T0 (Plantmax® HA), tratamento comercial; T1 (100% composto); T2 (95% composto, 2,5% areia, 2,5% pó de basalto); T3 (90% composto, 3% areia, 7% pó de basalto); T4 (85% composto, 6% areia, 9% pó de basalto). Os experimentos foram conduzidos na estufa da Universidade Estadual do Oeste do Paraná – UNIOESTE, na cidade de Cascavel - PR. Apresentando os maiores resultados o T3 (90% composto) com média de 2,02 mm de diâmetro de colo (DC), 7,35 x 10-3 g para massa seca de parte área (MSPA) e 12,18 cm de comprimento de parte área (CPA) aos 28 dias após a semeadura.
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são dos autores, com direitos de primeira publicação para a revista.

Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.