Levantamento de Populações “Crioulas” de Milho no Planalto Serrano Catarinense
PDF

Palavras-chave

Agrobiodiversidade
Recursos Genéticos
Agricultura Familiar.

Como Citar

Correa Marcon, M., Inês Carissimi Boff, M., Claudio Zanatta, J., & Cira Deboni, T. (2009). Levantamento de Populações “Crioulas” de Milho no Planalto Serrano Catarinense. Revista Brasileira De Agroecologia, 4(2). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/7878

Resumo

O cultivo do milho iniciou-se na América Central e com a colonização européia distribuiu-se para o restante do mundo. Hoje a oferta de cultivares comerciais de milho híbrido desestimula a manutenção de variedades “crioulas”. Este trabalho teve o objetivo de resgatar e caracterizar populações “crioulas” de milho existente na região do Planalto Serrano Catarinense. Visitou-se 13 agricultores que sabidamente cultivavam milho “crioulo”, distribuídos em cinco municípios. Durante as visitas era aplicado um questionário para a caracterização etnobotânica das variedades “crioulas” cultivadas. Vinte variedades locais de milho, que ainda estão sendo cultivadas pelos agricultores foram resgatadas. A idade média dos mantenedores destes materiais é superior a 65 anos e todos mostraram grande preocupação com o futuro destas variedades. Amostras espontaneamente doadas estão armazenadas no Banco Ativo de Germoplasma de sementes “crioulas” na Estação Experimental da Epagri-Lages, SC.
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são dos autores, com direitos de primeira publicação para a revista.

Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.