Absorção de água em sementes de coquinho-azedo
PDF

Como Citar

Lopes, P. S. N., Fernandes, R. C., Magalhães, H. M., Júnior, D. B. da S., Fernandes, R. C., Gomes, J. A. de O., Barbosa, F. S., & Carneiro, P. A. P. (2007). Absorção de água em sementes de coquinho-azedo. Revista Brasileira De Agroecologia, 2(2). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/7437

Resumo

O coquinho-azedo Butia capitata (Mart) Becc, é uma palmeira endêmica do Cerrado, que se destaca pela potencialidade socioeconômica junto às comunidades carentes da região Norte de Minas Gerais. Entretanto, fatores como extrativismo intensivo e expansão agrícola, bem como a quase inexistência de estudos científicos inviabilizam o seu uso sustentável comprometendo a sobrevivência da espécie. O presente trabalho objetivou caracterizar a absorção de água em sementes de coquinho-azedo com e sem endocarpo, visando propiciar um melhor entendimento sobre o seu processo germinativo. Para tanto, foi mensurado o peso de 1000 sementes, teor de umidade e elaboradas as curvas de embebições das sementes de coquinho com e sem endocarpo. Consistindo em nove tratamentos (0, 1, 3, 5, 7, 15, 24, 48 e 72 horas de embebição), quatro repetições e dez sementes por parcela. Pelos resultados, verificou-se diferença da porcentagem de umidade pelas sementes sem endocarpo (U=35,95%) em relação às com endocarpo (U=23,74%). Concluiu-se que existe interferência do endocarpo em relação à permeabilidade de água nas sementes de coquinho-azedo.
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são dos autores, com direitos de primeira publicação para a revista.

Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.