Inimigos naturais em horta agroecológica no município de Parnaíba, Piauí, Brasil
PDF

Como Citar

Arzabe, C., Silva, P. H., Carvalhaes, M., Motta, I., Brescovit, A., Silveira, O. T., Tavares, A. A., Neves, P., Aguiar, N., Costa Filho, G., & Val, L. C. (2007). Inimigos naturais em horta agroecológica no município de Parnaíba, Piauí, Brasil. Revista Brasileira De Agroecologia, 2(2). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/7247

Resumo

Para alternativas mais sustentáveis de manejo de pragas é preciso incorporar outros níveis hierárquicos de análise, tais como as comunidades de insetos e seu papel ecológico, havendo necessidade de treinamento de técnicos e estudantes dentro deste novo paradigma. Para tanto foi implementada uma horta agroecológica com corredores de vegetação natural na Embrapa Meio-Norte/UEP Parnaíba para estudos envolvendo caracterização de plantas espontâneas e inimigos naturais, visando compreender o papel da biodiversidade local no manejo de pragas. Foram registrados potenciais predadores pertencentes às famílias Reduviidae (Hemiptera), Syrphidae (Diptera), Vespidae (Hymenoptera), Coccinelidae e Carabidae (Coleoptera). Em relação às aranhas, foram registradas espécies das famílias Araneidae, Salticidae, Oxyopidae e Thomisidae. Embora os dados refiram-se a um número muito pequeno de coletas, restritas a um período curto de tempo, observou-se ausência de inimigos naturais da família Staphylinidae e parasitóides da Ordem Hymenoptera, registrados para cultivo de alface no sul do Brasil, onde, por outro lado, não foi registrada presença de reduvídeos e vespídeos.
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são dos autores, com direitos de primeira publicação para a revista.

Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.