Plantas medicinais de uma comunidade quilombola na Amazônia Oriental: Aspectos utilitários de espécies das famílias Piperaceae e Solanaceae
PDF

Palavras-chave

Etnobotânica
plantas medicinais
comunidade quilombola

Como Citar

Pereira, L. A., Lima e Silva, R. B., Guimarães, E. F., Almeida, M. Z., Monteiro, E. D. C. Q., & Pinto Sobrinho, F. de A. (2007). Plantas medicinais de uma comunidade quilombola na Amazônia Oriental: Aspectos utilitários de espécies das famílias Piperaceae e Solanaceae. Revista Brasileira De Agroecologia, 2(2). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/7128

Resumo

(Plantas medicinais de uma comunidade quilombola na Amazônia Oriental: Aspectos utilitários de espécies das famílias Piperaceae e Solanaceae). O presente estudo foi realizado em uma comunidade quilombola descendentes de escravos africanos do século XVIII, situada na APA do Rio Curiaú, a 11 km ao Norte da cidade de Macapá (AP), onde foram efetuadas visitas em 42 núcleos familiares, utilizando a técnica de observação participante e entrevistas informais. De um total de 79 citações de uso foram levantadas sete espécies pertencentes às famílias Piperaceae e Solanaceae. Piper marginatum Jacq, foi o táxon que apresentou a maior versatilidade quanto aos seus usos medicinais, sendo empregada para o tratamento de 18 enfermidades. No geral, as plantas citadas foram indicadas para 42 tipos diferentes de enfermidades.
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são da autoria, com direitos de primeira publicação para a revista. Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.