AVALIAÇÃO DA BIOATIVIDADE DE EXTRATOS VEGETAIS SOBRE DIABROTICA SPECIOSA(COLEOPTERA:CHRYSOMELIDAE) EM ESTUFA PLÁSTICA
PDF

Palavras-chave

Cucumis sativus
plantas inseticidas
Melia azedarach

Como Citar

Taschetto Machado, R., Rosalino, P., Do Prado Ribeiro, L., Junges, E., Rodrigues, johnathan, Gindri Manzoni, C., & Bastos Dequech, S. (2007). AVALIAÇÃO DA BIOATIVIDADE DE EXTRATOS VEGETAIS SOBRE DIABROTICA SPECIOSA(COLEOPTERA:CHRYSOMELIDAE) EM ESTUFA PLÁSTICA. Revista Brasileira De Agroecologia, 2(2). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/7010

Resumo

O presente trabalho teve como objetivo avaliar a bioatividade de extratos vegetais sobre Diabrotica speciosa, vaquinha, na cultura do pepino (Cucumis sativus), em cultivo em ambiente protegido, em Santa Maria, RS. A estufa utilizada situa-se em área experimental no campus da Universidade Federal de Santa Maria. O pepino, da cultivar Mandarina, foi plantado em 05 de abril de 2007. Os tratamentos foram extratos aquosos a 10% (p/v) de fumo (Nicotiana tabacum), de pitangueira (Eugenia uniflora), de cinamomo (Melia azedarach) e de alho (Allium sativum). O delineamento experimental utilizado foi de blocos ao acaso, com seis repetições. A partir do surgimento das vaquinhas realizou-se a aplicação dos tratamentos e as avaliações constaram da observação visual em três plantas/parcela aos 3, 6 e 10 dias após a aplicação. Os resultados obtidos indicam não ter havido diferença estatisticamente significativa entre os extratos testados e a testemunha (água).
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são dos autores, com direitos de primeira publicação para a revista.

Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.