Populações tradicionais e conservação ambiental: uma contribuição da teoria social
PDF

Como Citar

Almeida, J., & Fleury, L. C. (2007). Populações tradicionais e conservação ambiental: uma contribuição da teoria social. Revista Brasileira De Agroecologia, 2(3). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/6270

Resumo

O presente artigo tem como objetivo analisar os fundamentos teóricos para definição de um grupo social como “tradicional” e as implicações destes conceitos para a conservação ambiental. A partir da pesquisa bibliográfica, constatou-se que as populações tradicionais têm sido definidas pela sua inserção no meio envolvente, pelo uso de técnicas de baixo impacto ambiental e respeito aos ciclos naturais, havendo também forte correlação com o conceito de "camponês". É destacado que, para uma comunidade ser considerada tradicional, esta não precisa ter padrões de comportamento estáticos, imutáveis. Conclui-se que caso se pretenda utilizar o modo de vida tradicional como estratégia de conservação, é necessário oferecer as bases democráticas para que o equilíbrio com o meio natural persista.
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são dos autores, com direitos de primeira publicação para a revista.

Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.