DESENVOLVIMENTO DE MUDAS DE CEBOLA PRODUZIDAS COM INSUMOS ORGÂNICOS

Como Citar

Aldrighi, C. B., Paglia, Águida G., Timm, P. J., & Morselli, T. B. (2006). DESENVOLVIMENTO DE MUDAS DE CEBOLA PRODUZIDAS COM INSUMOS ORGÂNICOS. Revista Brasileira De Agroecologia, 1(1). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/6179

Resumo

Com o objetivo de estudar o uso de diferentes insumos orgânicos no desenvolvimento de mudas de cebola, foi conduzido um experimento a campo na Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária-FEPAGRO/SUL, no município de Rio Grande/RS, no período de 15 de maio a 26 de agosto de 2002. Utilizou-se a cultivar Petrolini, submetida as seguintes adubações: adubação de base (30 t ha-1 de vermicomposto bovino; 45 t ha-1 de vermicomposto bovino e 60 t ha-1de esterco de curral) e biofertilizantes líquidos (Super Magro mais urina de vaca mais calda bordalesa; MB4 mais urina de vaca mais calda bordalesa) e Testemunha – ausência. O experimento foi esquematizado em delineamento em blocos ao acaso em fatorial 3X3. As variáveis analisadas foram: peso fresco e seco e altura de planta. Concluiu-se que o esterco de curral promoveu o melhor crescimento das mudas de tomate. E que até 35 dias após a germinação não há necessidade da aplicação de biofertilizantes. E aplicações de MB4 mais urina de vaca e calda bordalesa são eficientes próximo ao transplante. Palavras-chave: Allium cepa L., crescimento de planta, biofertilizantes

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são do autor, com direitos de primeira publicação para a revista. Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.