ECONOMIA POPULAR SOLIDÁRIA: RUMOS DE UMA ALTERNATIVA ÀS TRANFORMAÇÕES DO MUNDO DO TRABALHO E DA QUESTÃO SOCIAL

Como Citar

Pedó, J. C. J., & Reis, C. N. dos. (2006). ECONOMIA POPULAR SOLIDÁRIA: RUMOS DE UMA ALTERNATIVA ÀS TRANFORMAÇÕES DO MUNDO DO TRABALHO E DA QUESTÃO SOCIAL. Revista Brasileira De Agroecologia, 1(1). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/6172

Resumo

Este trabalho tem como tema refletir sobre a Economia Popular Solidária, a partir de duas experiências desenvolvidas na Cáritas do Rio Grande do Sul, mais especificamente nas cidades de Santa Maria e de Passo Fundo. O foco desse estudo foi o de buscar perceber a compreensão do que é Economia Popular Solidária, a partir das falas dos diretores, dos assessores e de grupos envolvidos com trabalhos nessa linha. Ao desenvolver essa pesquisa o objetivo foi o de analisar as experiências em EPS buscando entender a relação entre o pensar e agir com diretoria, assessoria e grupos beneficiados, além de refletir sobre o motivo de permanência dos empreendimentos na rede de Economia Popular Solidária. Essa proposta caracteriza-se por se constituir numa nova racionalidade econômica fundada na solidariedade como valor central e por apresentar um projeto social que se baseia num desenvolvimento sustentável. Ao final do trabalho pode-se perceber que na percepção dos entrevistados a Economia Popular Solidária se apresenta como uma alternativa ao mundo do trabalho e a questão social, como fator de auto-estima, crescimento e geração de trabalho e renda. PALAVRAS-CHAVE: Economia Popular Solidária, Mundo do Trabalho e Questão Social.

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são do autor, com direitos de primeira publicação para a revista. Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.