DECOMPOSIÇÃO DA FITOMASSA DE NABO FORRAGEIRO (Raphanus sativus var. oleiferus L.) E LIBERAÇÃO DE NITROGÊNIO

Como Citar

Denardin, R. B. N., Panzera, C. M., Wildner, L. do P., Tofollo, K. A., Schneider, A., Pelle, M., & Berwanger, A. L. (2006). DECOMPOSIÇÃO DA FITOMASSA DE NABO FORRAGEIRO (Raphanus sativus var. oleiferus L.) E LIBERAÇÃO DE NITROGÊNIO. Revista Brasileira De Agroecologia, 1(1). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/6156

Resumo

A fertilidade de grande parte dos nossos solos tem se encaminhado para níveis críticos de pobreza, decrescendo gradativamente com o passar dos anos. O esgotamento da fertilidade é inevitável com os métodos de exploração agrícola que vêm sendo empregados há tempos em todo mundo. Diante da utilização de métodos inadequados de manejo do solo e de cultivo, que propiciaram o agravamento e a expansão de problemas de degradação ambiental e gradativa queda de produtividade, faz-se necessário a utilização de sistemas de produção mais estáveis, que melhor conservem os recursos naturais, que tenham custos menos onerosos e sejam mais eficientes sob a ótica produtiva. Neste trabalho avaliou-se a decomposição da cobertura do nabo forrageiro (Raphanus sativus var. oleiferus L.) e a liberação de nitrogênio dos resíduos. Verificou-se que o nabo forrageiro apresenta uma elevada produção de fitomassa, com elevados teores de nitrogênio, mostrando-se uma boa fonte deste nutriente para culturas subsequentes. Palavras-Chave: Nabo forrageiro, decomposição da cobertura, nitrogênio

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são do autor, com direitos de primeira publicação para a revista. Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.