FISIOPATIAS E FITOPATIAS EM PÓS-COLHEITA DE MAÇÃS PRODUZIDAS NOS SISTEMAS CONVENCIONAL, INTEGRADO E ORGÂNICOS
PDF

Como Citar

Martins, C. R., Faria, J. C., Hoffman, A., Rombaldi, C. V., & Schenato, P. G. (2006). FISIOPATIAS E FITOPATIAS EM PÓS-COLHEITA DE MAÇÃS PRODUZIDAS NOS SISTEMAS CONVENCIONAL, INTEGRADO E ORGÂNICOS. Revista Brasileira De Agroecologia, 1(1). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/6081

Resumo

O objetivo deste trabalho foi avaliar a incidência de fisiopatias e fitopatias após armazenamento refrigerado em maçãs produzidas em pomar conduzidos nos sistemas de produção convencional (PC), integrado (PI) e orgânico (PO). Foram colhidas maçãs cv. Gala, Fuji e Catarina, em pomares comerciais de São Joaquim/SC nas safras de 2001/02. As frutas foram armazenadas em atmosfera convencional à 0º ± 1ºC e 93 ±5% de UR por 3 meses para cv. Gala e 5 meses para as cvs. Fuji e Catarina, seguidos de 7 dias a 15-20°C. Após cada período de armazenamento foram avaliadas as frutas com distúrbios fisiológicos e podridões. Nas três cultivares estudadas, as fisiopatias não foram influenciadas pelos sistemas de produção. Nas cvs. Fuji e Catarina a incidência de bitter pit foi maior nas maçãs produzidas sob PO. Maçãs cvs. Gala e Fuji produzidas organicamente não apresentaram podridões durante o armazenamento. Sendo que nas cvs. Gala e Catarina não houve diferença entre os sistemas. Em Fuji as maçãs produzidas sob PI e PC apresentaram 12% de podridões, enquanto que nas PO, não foram constatadas podridões. Palavras chaves: Malus domestica, agroecologia, sistemas de produção.
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são do autor, com direitos de primeira publicação para a revista. Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.