AGROEXTRATIVISMO DE CIPÓS NO AMAPÁ: UMA COMPLEMENTAÇÃO DE RENDA PARA A AGRICULTURAFAMILIAR OU UMA GARANTIA DE SUBSISTÊNCIA PARA OS AGRICULTORES DESASISTIDOS?
PDF

Como Citar

Pereira, L. A., Vieira, A. R. R., & Reis, M. J. (2006). AGROEXTRATIVISMO DE CIPÓS NO AMAPÁ: UMA COMPLEMENTAÇÃO DE RENDA PARA A AGRICULTURAFAMILIAR OU UMA GARANTIA DE SUBSISTÊNCIA PARA OS AGRICULTORES DESASISTIDOS?. Revista Brasileira De Agroecologia, 1(1). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/6041

Resumo

O objetivo deste trabalho é levantar o número de agricultores e famílias envolvidas na extração de cipós no distrito de Cupixi (Porto Grande/AP), bem como a influência do extrativismo no aumento da renda destas famílias. A região escolhida possui uma população de aproximadamente 400 famílias, sendo entrevistadas 43 delas. Foram efetuadas entrevistas semi-estruturadas e estruturadas. Poucas famílias desta região são nascidas no Amapá, destas, apenas 27,96% dos entrevistados. 93% dessas famílias admitiram que o extrativismo do cipó-titica é um complemento significativo na sua renda familiar. A maioria das famílias entrevistadas vê o cipó-titica como uma alternativa viável para o acréscimo de sua renda familiar - com uma crítica a falta de políticas agrícolas do governo, e, principalmente, criticando a forma que o estado coibi a coleta efetuada. Grande parte das famílias chega a retirar cerca de 100 kg de cipós/dia, e 40% dessa produção é perdida - incluindo aí a retirada dos nós, da casca e do excesso de água das fibras. PALAVRAS-CHAVE: cipó, cipó-titica, etnoecologia, renda familiar.
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são do autor, com direitos de primeira publicação para a revista. Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.