TIPOLOGIA DA AGRICULTURA DA REGIÃO SUDESTE DO BRASIL

Como Citar

Martinez, M. H., Miorim, V. F., Conterato, A. L., Lunardi, M. A., Hoffmann, N. C., & Carvalho, M. (2006). TIPOLOGIA DA AGRICULTURA DA REGIÃO SUDESTE DO BRASIL. Revista Brasileira De Agroecologia, 1(1). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/6036

Resumo

O presente trabalho resulta de uma investigação da tipologia dos elementos novos existentes sobre a situação da agricultura na região sudeste do Brasil. Na metodologia realizou-se estudos com base nos dados do Censo Agropecuário do IBGE de 1995/96. O trabalho em si traz a concepção básica das características dos agricultores e de suas formas de produção a partir de suas relações sociais que implica em superar tendências, freqüente nas análises sobre tipologia ao atribuir um limite máximo de área com a produção, associando a pequena, média e grande produção, nas respectivas propriedades. Tal procedimento é, derivado da própria forma como em geral são apresentadas as tipologias agropecuárias. Vários atributos podem ser utilizados para determinar uma tipologia e através das análises, comparações e cálculos geo-estatísticos que determinam os elementos que se proporcionam adequadamente para cada tipo de propriedades, podendo também as propriedades serem classificadas quanto a orientação para a produção das culturas agropecuárias. Entretanto, isso não significa que se deve ficar limitado aos dados divulgados, pois algumas características distinguem no atual estudo, as regiões com, ampliação de suas particularidades resultado de uma tipificação, identificando os principais sistemas de produção característicos dos diversos tipos de atividades desenvolvidas pelos agricultores, nos diferentes estabelecimentos existentes na região sudeste do Brasil. Palavras chaves: tipologia, agricultura, região sudeste, agropecuária

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são do autor, com direitos de primeira publicação para a revista. Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.