AVALIAÇÃO DE PRODUTOS HORTIGRANJEIROS, QUANTO À PRESENÇA DE RESÍDUOS DE PESTICIDAS, COMERCIALIZADOS EM FEIRAS-LIVRES AGROECOLÓGICAS
PDF

Como Citar

Vivian, R., Silva, R. C. da, Marquet, R. D., Adaime, M. B., Zanella, R., & Pizzutti, I. R. (2006). AVALIAÇÃO DE PRODUTOS HORTIGRANJEIROS, QUANTO À PRESENÇA DE RESÍDUOS DE PESTICIDAS, COMERCIALIZADOS EM FEIRAS-LIVRES AGROECOLÓGICAS. Revista Brasileira De Agroecologia, 1(1). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/6000

Resumo

Devido à demanda crescente de produtos agroecológicos e visando oferecer melhor qualidade de vida para os consumidores, em termos de injesta de alimentos saudáveis, buscou-se confirmar sua correta produção, através do monitoramento de resíduos de pesticidas. Isto contribui para o fortalecimento da qualidade dos produtos agroecológicos e incentiva seu consumo pela população. Analisaram-se resíduos de fungicidas da classe dos ditiocarbamatos (Mancozeb, Maneb, Tiran, Propineb, Metiran), através do método espectrofotométrico de Keppel, para as culturas de tomate, morango, mamão, pepino, maçã e banana. As amostras foram coletadas nos meses de dezembro de 2002 e julho/agosto de 2003, nas feiras-livres agroecológicas da cidade de Santa Maria/RS. Realizou-se um total de 68 análises das diferentes culturas, sendo que na maioria delas (82,35%), não se detectou a presença de resíduos de ditiocarbamatos. Entretanto, identificou-se e quantificou-se estes resíduos em algumas amostras de mamão, tomate, banana e maçã, mesmo não sendo permitidos no cultivo agroecólgico. Todos os valores residuais encontrados não ultrapassaram os Limites Máximos de Resíduos (LMR) estabelecidos pelas Legislações Nacional (ILSI) e Internacional (Codex Alimentarius). Entretanto, ressalta-se que, nesta legislação, não é permitida a presença destes fungicidas para a cultura da maçã. Palavras-chave: monitoramento, produtos agroecológicos, ditiocarbamatos
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são do autor, com direitos de primeira publicação para a revista. Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.