RESPOSTA DO RABANETE A DIFERENTES ADUBAÇÕES ORGÂNICAS EM AMBIENTE PROTEGIDO

Como Citar

Vitória, D., Krolow, I., Oliveira Filho, L., & Morselli, T. (2006). RESPOSTA DO RABANETE A DIFERENTES ADUBAÇÕES ORGÂNICAS EM AMBIENTE PROTEGIDO. Revista Brasileira De Agroecologia, 1(1). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/5984

Resumo

O experimento foi realizado em estufa plástica modelo capela, na faculdade de Agronomia Eliseu Maciel/Ufpel, Capão do Leão/RS,objetivou-se avaliar as respostas agronômicas do rabanete (Raphanus sativus L.), cultivar (gigante). Utilizou-se como substrato o solo classificado pelo sistema brasileiro como Planossolo Hidromórfico Eutrófico Solódico. Apresentam se em blocos casualizados, 50 vasos com capacidade de 6 kg, em cada vaso foram mantidos 3 plantas e mantidas na capacidade de campo até a colheita. Os tratamentos foram os seguintes: T1(Testemunha), T2(Vermicomposto Bovino-10 mL), T3(Vermicomposto Bovino-20 mL), T4(Vermicomposto Bovino-40 mL), T5(Vermicomposto Suíno-10 mL), T6(Vermicomposto Suíno-20 mL), T7(Vermicomposto Suíno-40 mL), T8(Vermicomposto Extremo Sul-10 g), T9(Vermicomposto Extremo Sul-20 g), T10(Vermicomposto Extremo Sul-40 g). As variáveis analisadas foram diâmetro de planta, fitomassa fresca e fitomassa seca. Conclui-se que houve diferença entre os tratamentos, destacando–se o T7 e T9 em relação aos demais vermicompostos. Palavra Chave: Raphanus sativus L.,substrato,vermicomposto

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são do autor, com direitos de primeira publicação para a revista. Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.