AVALIAÇÃO DE CULTIVARES DE SOJA (Glycine max (L.) MERRIL) PARA UTILIZAÇÃO COMO ADUBO VERDE EM SISTEMAS DE PRODUÇÃO ORGÂNICA

Como Citar

Santos, L. A., Ndiaye, A., Padovan, M. P., Almeida, D. L. de, Guerra, J. G. M., & Ribeiro, R. de L. (2006). AVALIAÇÃO DE CULTIVARES DE SOJA (Glycine max (L.) MERRIL) PARA UTILIZAÇÃO COMO ADUBO VERDE EM SISTEMAS DE PRODUÇÃO ORGÂNICA. Revista Brasileira De Agroecologia, 1(1). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/5978

Resumo

O objetivo deste trabalho foi avaliar a amplitude de adaptação de variedades de soja para cultivos como adubo verde. O delineamento adotado foi o de blocos ao acaso com quatro repetições, onde foram avaliadas as seguintes variedades: Celeste, Campo Grande, Surubi, Mandi, Lambari e Taquari, com plantio realizado na mesma época (01/12/1999). As cultivares Celeste e Taquari se destacaram frente as demais cultivares avaliadas, visto a elevada acumulação de nutrientes e biomassa na parte aérea, mostrado-se eficiente na ciclagem de nutrientes. A elevada acumulação de biomassa sob manejo orgânico pela cultivar Celeste, associada à precocidade revelada (81 dias) e elevadas taxas de FBN, credencia a cultura da soja como uma alternativa para utilização como adubo verde, mostrando-se mais eficiente que diversas leguminosas hoje empregada como adubo verde. Palavras chave: manejo orgânico, acumulação de massa e nutrientes.

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são dos autores, com direitos de primeira publicação para a revista.

Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.