BOAS PRÁTICAS DE MANEJO (BPMs): UM ESTUDO DE AVALIAÇÃO PONDERADA DE IMPACTO AMBIENTAL (APOIA-Novo Rural) EM PESQUE-PAGUES (SP)
PDF

Como Citar

Queiroz, J. F., Rodrigues, I., Rodrigues, G. S., & Campanhola, C. (2006). BOAS PRÁTICAS DE MANEJO (BPMs): UM ESTUDO DE AVALIAÇÃO PONDERADA DE IMPACTO AMBIENTAL (APOIA-Novo Rural) EM PESQUE-PAGUES (SP). Revista Brasileira De Agroecologia, 1(1). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/5895

Resumo

A indicação de Boas Práticas de Manejo (BPMs) foi elaborada a partir dos resultados de um estudo em nove estabelecimentos rurais dedicados a atividade de pesque-pague, próximos a cidade de Campinas/SP, utilizando-se o método de Avaliação Ponderada de Impacto Ambiental – APOIA-NovoRural. O objetivo deste estudo foi a verificação do impacto da atividade e de sua performance ambiental relativa a cada uma das cinco dimensões abordadas pelo método, e dirigidas à avaliação da contribuição da atividade para desenvolvimento local sustentável. A dimensão Ecologia da Paisagem foi aquela na qual a performance ambiental apresentou resultados menos favoráveis. Os indicadores referentes à Qualidade da água foram analisados em detalhe, visto ser este o recurso essencial ao desenvolvimento da atividade pesque-pague. Boas Práticas de Manejo (BPMs) foram apresentadas como recomendação para a adequação dos aspectos relativos à dimensão Ecologia de Paisagem, bem como e principalmente, à melhoria na qualidade da água. Palavras chaves: Boas Práticas de Manejo, Avaliação de Impacto Ambiental, APOIA-Novo Rural, sutentabilidade, qualidade de água, pesque-pague.
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são dos autores, com direitos de primeira publicação para a revista.

Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.