AVALIAÇÃO DE INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE NA VITICULTURA DE TUNÁPOLIS.

Como Citar

Wendlig, A. V., & Breda, N. L. (2006). AVALIAÇÃO DE INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE NA VITICULTURA DE TUNÁPOLIS. Revista Brasileira De Agroecologia, 1(1). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/5875

Resumo

A partir da revolução verde, que busca o uso intensivo de insumos e a máxima produtividade, vem acontecendo o esgotamento dos recursos naturais (água e solo) da região oeste de Santa Catarina, e o empobrecimento da agricultura familiar. Diante disso, torna-se necessário estabelecer novos rumos para o desenvolvimento, visando, sobretudo, a sustentabilidade econômica, social e ambiental, buscando atender as necessidades atuais sem comprometer o atendimento das necessidades das gerações futuras. A sustentabilidade pode ser avaliada por indicadores estabelecidos criteriosamente para cada sistema, contemplando principalmente a conservação dos recursos naturais. A agroecologia tem como fundamento a produção com sustentabilidade. Esta preocupação leva a crer que os indicadores no sistema agroecológico sejam melhores do que no sistema convencional. Este estudo buscou avaliar os seguintes indicadores de sustentabilidade: Estrutura, Profundidade do Solo, Estado dos Resíduos orgânicos, Desenvolvimento das Raízes, Cobertura do Solo, Erosão, Atividade Biológica, Crescimento do Cultivo e a Produtividade Atual em sistemas de viticultura agroecológico e convencional para estabelecer as possibilidades e restrições desses. PALAVRAS-CHAVE: Sustentabilidade, viticultura, indicadores, recursos naturais.

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são do autor, com direitos de primeira publicação para a revista. Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.