O CANDEEIRO:
PDF

Palavras-chave

Agroecologia
Comunicação popular
Semiárido Brasileiro

Como Citar

Souza Goncalves, R. K., Freitas, H. R., & Júnior, B. J. do N. (2021). O CANDEEIRO:: INSTRUMENTO DE COMUNICAÇÃO POPULAR NO FORTALECIMENTO DA AGRICULTURA FAMILIAR DE BASE AGROECOLÓGICA NO SERTÃO DO PAJEÚ, SEMIÁRIDO BRASILEIRO. Revista Brasileira De Agroecologia, 16(3), 256–269. https://doi.org/10.33240/rba.v16i3.23419

Resumo

Este trabalho objetiva analisar como o boletim “O Candeeiro”, instrumento de comunicação da Articulação no Semiárido Brasileiro (ASA Brasil), fortalece a agricultura familiar e a agroecologia no Sertão do Pajeú. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica e documental na qual se fez o levantamento e análise dos temas e experiências exitosas sistematizadas e publicadas no "site" da ASA Brasil entre os anos 2012 e 2020. Também foi realizada uma entrevista com 17 pessoas que leem e utilizam as informações contidas no periódico analisado. Observou-se que essas práticas e iniciativas envolvem dimensões importantes para o fortalecimento da agricultura familiar no semiárido, com destaque para o acesso à terra e à água, conservação de sementes crioulas e o protagonismo da mulher que demandam ações de políticas públicas de convivência com o semiárido. Conclui-se que “O Candeeiro” promove a troca de saberes e experiências exitosas no Sertão do Pajeú inspirando mudanças.

https://doi.org/10.33240/rba.v16i3.23419
PDF

Referências

ABRAMOVAY, R. Agricultura familiar e serviços públicos: novos desafios para extensão rural. Caderno de Ciências & Tecnologias, Brasília, v. 15, n. l, p.137-157, jan./abr. 1998. Disponível em: https://seer.sct.embrapa.br/index.php/cct/article/view/8932/5051. Acesso em 13 de set. de 2021.
AMORIM, J. B. B; et al. As mulheres do sertão pernambucano e seus quintais produtivos agroecológicos. Cadernos de Agroecologia – ISSN 2236-7934 – Anais do VI CLAA, X CBA e V SEMDF, v. 13, n. 1, jul. 2018.
ARTICULAÇÃO DO SEMIÁRIDO BRASILEIRO – ASA BRASIL. Acervo: o Candeeiro. 2017. Disponível em: http://www.asabrasil.org.br/acervo/o-candeeiro. Acesso em 13 de set. de 2021.
ARTICULAÇÃO DO SEMIÁRIDO BRASILEIRO - ASA BRASIL. O Programa Cisternas garantiu continuidade e recuperação das cidades e sobrevivência para a agricultura familiar. Disponível em: https://www.asabrasil.org.br/imprensa/giro-pela-imprensa?artigo_id=9231. Acesso em: 27 de abr. de 2021.
AZEVEDO, M. A. A construção do conhecimento agroecológico por agricultores familiares e técnicos em serviço: uma análise a partir da centralidade da experimentação em quintais produtivos no cariri paraibano. Recife - PE, 2012. Disponível em: https://www.academia.edu/7110204/A_construcao_do_conhecimento_agroecologico_por_agricultores_familiares. Acesso em 13 de set. de 2021.
BARROS-JÚNIOR, G. Relatório Analítico Simplificado da Situação Ambiental no Alto Pajeú – Trecho de Afogados da Ingazeira a Brejinho. Afogados da Ingazeira: 2014.
BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Agrário. Plano Territorial de Desenvolvimento Rural Sustentável do Sertão do Pajeú. Brasília, 2011.
CALLOU, A. B. F.; TAUK-SANTOS, M. S. Extensão Rural-Extensão Pesqueira: estratégias de ensino e pesquisa. Recife: FASA, 2013.
CENTRO DE EDUCAÇÃO COMUNITÁRIA RURAL - CECOR. Encarte técnico. Disponível em: http://www.cecor.org.br/ Portal. Acesso em 13 de set. de 2021.
CENTRO DE EDUCAÇÃO COMUNITÁRIA RURAL - CECOR. Juventude Semeadora - Protagonismo Juvenil Rural na Revitalização do Riacho Olho d'Água, Santa Cruz da Baixa Verde - Semiárido Pernambucano. Textos: Serra Talhada, PE. CECOR –Centro de Educação Comunitária Rural: 2013. Cartilha. Disponível em: https://www.cecor.org.br/imagens/cartilhas/Cartilha___Final_1.pdf. Acesso em 13 de set. de 2021.
DEMO, P. Participação é conquista. 4ª ed. São Paulo: Cortez. 1999.
DUQUE, G. “Conviver com a seca”: contribuição da Articulação do Semiárido/ASA para o desenvolvimento sustentável. Desenvolvimento e Meio Ambiente, n. 17, p. 133-140, jan./jun. 2008. Editora UFPR.
FREIRE, P. Extensão ou comunicação? Tradução: Rosiska Darcy de Oliveira. 1. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2013. 89 p. Recurso digital.
FONTANÉTTI, A.; SANTOS, I. C. Manejo da fertilidade do agroecossistema e a sustentabilidade da agricultura familiar. Informe Agropecuário, Belo Horizonte, v. 31, n. 254, p.7-13, 2010.
GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 5 ed. São Paulo: Atlas, 2007.
IBGE. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo Agropecuário de 2017- Rio de Janeiro, v. 7. p. 1-108. Disponível em: https://biblioteca. ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/3093/agro_2017_resultados_preliminares.pdf. Acesso em 13 de set. de 2021.
MARTINS, J. S. O futuro da Sociologia Rural e sua contribuição para a qualidade de vida rural. Estudos Avançados, v. 15, n. 43, p. 31-36. 2001. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ea/v15n43/v15n43a04.pdf. Acesso em: 31 de março de 2021.
MALVEZZI, R. Semiárido: uma visão holística. Brasília: Confea, 2007. (Coleção Pensar o Brasil)
PERUZZO, C. M. K. Aproximações entre comunicação popular e comunitária, e a imprensa alternativa no Brasil na era do ciberespaço. In: Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, 2009. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/galaxia/article/view/2108/1247. Acesso em 13 de set. de 2021.
PERUZZO, C. M. K. Comunicação nos movimentos populares: a participação na construção da cidadania. 3 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1998.
SILVA, C. A. O. et al. Sistematização de experiências na promoção da convivência com o Semiárido: a experiência da Articulação Semiárido Brasileiro (ASA). Cadernos de Agroecologia, v. 13, n. 1, 2018. Disponível em: http://cadernos.aba-agroecologia.org.br/index. php/cadernos/article/view/965. Acesso em 13 de set. de 2021.
SILVA, D. V. A importância das mulheres para os quintais agroflorestais da comunidade rural Cabeça Branca no município de Sumé, Paraíba, Brasil. Cadernos de Agroecologia, v. 10, n. 3, 2016. Disponível em: http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index. php/cad/article/view/19664/13305. Acesso em 13 de set. de 2021.
SIQUEIRA-FILHO, J. A. Flora das Caatingas do Rio São Francisco: História natural e conservação. 1. ed. Rio de Janeiro: Andrea Jakobsson Estúdio Editorial, v. 1. 2012.
TAUK-SANTOS, M. S. Políticas Públicas de Comunicação para Desenvolvimento no Contexto Rural Brasileiro do Século XXI. In: XXXV Intercom. Fortaleza, 2012.
TAUK-SANTOS, M. S. Comunicação, economia criativa e desenvolvimento local: a experiência do 'Núcleo de Comunicação Bombando Cidadania. Intercom: Revista Brasileira de Ciências da Comunicação, São Paulo, n. 2, Jul./Dez., 2015.
TAUK-SANTOS, M. S.; SILVA, C. A. O. Representações sociais sobre Mulheres no Boletim da Articulação Semiárido Brasileiro (ASA). In: TAUK-SANTOS, Maria Salett; CALLOU, A. B. F. (Org.) Travessias acadêmicas das tecnologias de comunicação para o desenvolvimento. Recife: FASA, p. 519 - 530, 2019.
TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em Ciências Sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.
VIEIRA, S. C.; et al. A relevância da comunicação rural na difusão de informações para a agricultura familiar: um estudo de caso do “CODAF”. Periódico Eletrônico Fórum Ambiental da Alta Paulista, v. 11, n. 2, p. 168 -183, 2015.

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são do autor, com direitos de primeira publicação para a revista. Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.

Métricas

Carregando Métricas ...