TRANSIÇÃO AGROECOLÓGICA, AGRICULTURA FAMILIAR E TRABALHO FEMININO: UM ESTUDO DE CASO EM ITUPORANGA-SC
PDF

Palavras-chave

transição agroecológica
unidade de produção familiar
produção orgânica
gênero

Como Citar

Kopplel, S. A., BERNARDO, M. A. T., BERNARDO, J. T., SEBOLD, S. M., & VERGUTZ, C. L. B. (2021). TRANSIÇÃO AGROECOLÓGICA, AGRICULTURA FAMILIAR E TRABALHO FEMININO: UM ESTUDO DE CASO EM ITUPORANGA-SC. Revista Brasileira De Agroecologia, 16(3), 226–239. https://doi.org/10.33240/rba.v16i3.23285

Resumo

A proposta da agroecologia como ciência se materializa na integração de todos os seres vivos e restauração das relações ecológicas que as conectam. Nesse sentido, torna-se fundamental a valorização da perspectiva feminina nos processos de mudança ocorridos nas propriedades agrícolas. Com isso, objetivou-se analisar a ocorrência da transição agroecológica em uma propriedade no município de Ituporanga/SC, com enfoque no papel desempenhado pela mulher durante todo o processo. De forma metodológica, foi realizado um estudo de caso único, com a utilização de técnicas de entrevista sem perguntas elaboradas e de forma aberta, com o objetivo de relatar, a partir da escuta da matriarca da família, as etapas da consolidação do modo de produção agroecológico na unidade familiar. De forma conclusiva, a experiência demonstrou a mudança do modo de produção da propriedade e  a importância do trabalho feminino na concretização do processo.

https://doi.org/10.33240/rba.v16i3.23285
PDF

Referências

Agência de Desenvolvimento Regional: Perfil Socioeconômico, Ituporanga, 2016.
AGRICULTURA, AGROPECUÁRIA E ABASTECIMENTO. Base de dados do Cadastro Nacional de Produtores Orgânicos. Disponível em:
http://www.agricultura.gov.br/assuntos/sustentabilidade/organicos/cadastro-nacional-produtores-organicos. Acesso em: 20 set.2019.
Cadastro Nacional de Produtores Orgânicos do Mapa. Produção orgânica certificada em Santa Catarina. Versão do CNAPO: março de 2017
DUARTE, J.; BARROS, A. Métodos e Técnicas de Pesquisa em Comunicação. 2ª edição. São Paulo: Atlas, 2006.
FREIRE, A. G. Pela vida das mulheres e pela agroecologia: agricultoras da Borborema reescrevem suas histórias. Revista Agriculturas: experiências em agroecologia, v.12, n.4. Rio de Janeiro/RJ. Dezembro/2015.
GLIESSMAN, S.R. Agroecologia: processos ecológicos em agricultura sustentável. 2 Ed. Porto Alegre: Ed. Universidade (UFRS), 653p.,2001.
_______________. Processos ecológicos em agricultura sustentável. Porto Alegre, 2005.

Governo de Ituporanga. Dados do município de Ituporanga. Disponível em:
http://www.ituporanga.sc.gov.br/cidade/historia.html. Acesso em: 5 jun.2019

GRAZIANO, J. da S. Não há nada mais avançado do que o potencial da agricultura familiar. 2014. Disponível em: <www.mst.org.br/node/15565> . Acesso em: 06 jun. 2019.

MEIRELLES, L. Soberania alimentar, agroecologia e mercados locais. In: Revista Agriculturas: experiências em agroecologia: AS-PTA, v. 1, n. 0, p. 11-14, set. 2004.
PACHECO, M. E. L. Os caminhos das mudanças na construção da agroecologia pelas mulheres. Revista Agriculturas: experiências em agroecologia, v.6, n.4, páginas 04-08. Rio de Janeiro/RJ. Dezembro/2009.
PAULINO, E. T. Por uma geografia camponesa. 2ª edição. São Paulo: Editora da UNESP. 2012.
PAULILO, M. I. S. FAO, fome e Mulheres Rurais. IN: DADOS -Revista Ciências Sociais, Rio de Janeiro, col.56, nº2, 2013, 0p.285 a 310.

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são do autor, com direitos de primeira publicação para a revista. Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.

Métricas

Carregando Métricas ...