Transição agroecológica do roçado tradicional para a roça sem queima: mudanças e permanências no preparo da terra
PDF

Palavras-chave

agricultura familiar
semiárido
agricultores experimentadores

Como Citar

Mota, N. R., Mota, D. M. da, & Mota, N. F. (2017). Transição agroecológica do roçado tradicional para a roça sem queima: mudanças e permanências no preparo da terra. Revista Brasileira De Agroecologia, 12(2). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/20754

Resumo

Este artigo trata das práticas resultantes da transição da roça com corte e queima tradicional para a roça sem queima na comunidade Barra do Leme, Assentamento Barra do Leme, Pentecoste, Ceará. A pesquisa foi realizada por meio de um estudo de caso, com levantamento de dados qualitativos e quantitativos, de observação participante e de entrevistas não diretivas. Os resultados mostram que a organização e a militância ambiental da comunidade foram fundamentais para a decisão da transição para uma agricultura sem queima. O trabalho de preparo da terra de novas áreas de plantio passou a ser mais pesado, com isso houve a fixação das áreas de cultivo; as coivaras foram modificadas; a adubação foi incorporada ao roçado como forma de fertilização do solo alternativa às queimadas e ocorreu diminuição do tempo dedicado à agricultura.
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são do autor, com direitos de primeira publicação para a revista. Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.