Construção do Conhecimento Agroecológico: Problematizando a noção.
PDF

Palavras-chave

Transição agroecológica. Diálogo saberes. Participação.

Como Citar

Cotrim, D. S., & Dal Soglio, F. K. (2016). Construção do Conhecimento Agroecológico: Problematizando a noção. Revista Brasileira De Agroecologia, 11(3). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/16772

Resumo

A noção de Construção do Conhecimento Agroecológico-CCA passou a ser utilizada contemporaneamente por um grupo de autores que produzem em uma perspectiva agroecológica, porém caracteriza-se como um conceito em elaboração não tendo seus elementos amplamente detalhados. O objetivo desse artigo é justamente problematizar os elementos constitutivos do processo de CCA buscando a ampliação de seu entendimento. Essa pesquisa se coloca dentro do campo da Agroecologia estando apoiada teoricamente na Perspectiva Orientada pelo Ator (LONG,2001). O método pode ser descrito como uma pesquisa qualitativa, bibliográfica que dialoga com os achados da tese de doutorado do autor. Os principais elementos da CCA debatidos no texto são a visão contemporânea da ciência, a imersão do processo nas relações sociais, a construção do projetos sociais dos atores, o diálogo de saberes, os princípios ecológicos de agricultura, a imersão social dos mercados, o método participativo, a transição agroecológica e a participação. Na conclusão está alocada uma proposta de conceito para o processo de CCA almejando uma colaboração a construção dentro da Agroecologia.
PDF

Referências

ALMEIDA, J. A construção social de uma nova agricultura: Tecnologia agrícola e movimentos sociais no sul do país. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRG. 1999.

ALTIERI, M. Agroecologia: as bases científicas da agricultura alternativa. Rio de Janeiro: PTA/FASE, 1989.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE AGROECOLOGIA. Construção do Conhecimento Agroecológico. Brasília: ABA, 2007.

BERTALANFFY, L.V. O significado da teoria geral dos sistemas. In: ______. Teoria geral dos sistemas. Petrópolis, RJ: Vozes, 1973.

BUTTEL, F. Transiciones agroecológicas en el siglo XX: analises preliminar. Agricultura y Sociedad, nº 74, pg 9- 37. Universidad de la Rioja. 1995.

CAPORAL, F.R. La extensión agraria del sector público ante los desafíos del desarrollo sostenible: el caso de Rio Grande do Sul, Brasil. 1998. 517p. Tese (Doutorado)-Programa de Doctorado en Agroecología, Campesinado e Historia, ISEC-ETSIAN, Universidad de Córdoba, España, 1998.

CHAVEZ-TAFUR, J. Aprender com a prática: Uma metodologia para sistematização de experiências. Brasil. AS-PTA, 2007.

COLLINGWOOD, R.G. Ciência e filosofia: a idéia de natureza. Lisboa: Presença, 1996.

COSTABEBER, J.A. Acción Colectiva y Transición Agroecológica en Rio Grande do Sul, Brasil. 1998. 434p. Tese (Doutorado)-Programa de Doctorado en Agroecología, Campesinado e Historia, ISEC-ETSIAN, Universidad de Córdoba, España, 1998.

COTRIM, D. O estudo da participação na interface dos atores na arena de construção do conhecimento agroecológico. Tese de Doutorado. PGDR-UFRGS. Porto Alegre. 2013.

DAL SÓGLIO, F. ; LEMOS, V.D. da C. Desenvolvimento rural no Brasil: uma visão ecológica e a interação com ensino e pesquisa. In.: ALMEIDA, J. (org). Políticas públicas e desenvolvimento rural: Percepções e perspectivas no Brasil e Moçambique. Porto Alegre: UFRGS, PGDR. 2009. 267p.

DE MASI, D. Criatividade e grupos criativos. Rio de Janeiro: Sextante, 2003.

GERHARDT, T.E.; SILVEIRA, D.T. Método de Pesquisa. UAB/UFRGS. Plageder, SEAD/UFRGS. Porto Alegre: Editora UFRGS, 2009.

GLIESSMAN, S.R. Agroecologia: processos ecológicos em agricultura sustentável. 3.ed. Porto Alegre: Ed. da UFRGS, 2005.

GOODMAN, D. SORJ, B. WILKINSON, J. Das lavouras às biotecnologias: agricultura e indústria no sistema internacional. Centro Edelstein de pesquisas sociais. 2008.

GRAZIANO DA SILVA, J. A nova dinâmica da agricultura brasileira. Campinas, Instituto de Economia, Unicamp, 1996.

GRAZIANO DA SILVA, J. O novo rural brasileiro. Campinas, Instituto de Economia, Unicamp (Série Pesquisas, 1), 1999.

GUIVANT, J.S. Contribuições da Sociologia Ambiental para os debates sobre desenvolvimento rural sustentável e participativo. Estudos Sociedade e Agricultura, 19, outubro, 2002: 72-88.

GUZMÁN, E.S.; MOLINA,G.S. Sobre la agroecologia: algunas reflexiones en torno a la agriculturra familiar en España. In: GARCIA DE LEÓN, M.A. El campo yla ciudad. Madrid: [s.n.], 1996.

LONG, N. Development Sociology: actor perspectives. London and New York: Routledge, 2001, p. 293.

MALINOWSKI, B. Os argonautas do pacífico ocidental: um relato do empreendimento e da aventura dos nativos nos arquipélagos da Nova Guiné melanésia. São Paulo: Abril Cultural, 1976.

MOLINA, M.G. Introduccion a la Agroecologia. Madrid: Sociedade Española de Agricultura Ecológica (SEAE), 2011.

MORIN, E. A organização (do objeto ao sistema). In: ______. O método 1: a natureza da natureza. 2.ed. Porto Alegre: Sulina, 2005.

NORGAARD, R. B. A base epistemológica da agroecologia. In: ALTIERI, M. A. (Ed.). Agroecologia: as bases científicas da agricultura alternativa. Rio de Janeiro: PTA:FASE, 1989. p. 42-48.

OOSTINDIE, H.; BROEKHUIIZEN,R. van. The dynamics of novelty production. IN: PLOEG,J. D. van der; MARSDEN, T. Unfolding Webs: The dynamicsregional rural development. Wageningen: Etude 2008. Disponível em . Acesso em 02/04/2010.

PETERSEN, P.; DAL SOGLIO, F.K.; CAPORAL, F.R. A construção de uma ciência a serviço do campesinato. In: PETERSEN,P. Agricultura familiar camponesa na construção do futuro. Rio de Janeiro. AS-PTA, 2009.

PETERSEN, P. ; DIAS, A. (Org.). Construção do Conhecimento Agroecológico: novos papéis, novas identidades. Rio de Janeiro: Grafici, 2007.

PIAGET, J. A epistemologia genética. Petrópolis: Vozes, 1971.

POLANYI, K. A nossa obsoleta mentalidade mercantil. In: Revista Trimestral de História das Idéias, Porto (Portugal), n.1, 1977.

POLANYI, K. A. A Grande Transformação: A origem de nossa época. 2. ed. Rio de Janeiro: Campus, 2000.

PLOEG, J D van der. Camponeses e Impérios Alimentares: Lutas por autonomia e sustentabilidade na era da globalização. Porto Alegre: Ufrgs, 2008. 376 p.

WISKERKE, J.S.C.; PLOEG, J.D. van der. Seeds of Transition: essay on novelty production, niches and regimes in agriculture. Assen: Royal Van Gorcum, 2004.

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são da autoria, com direitos de primeira publicação para a revista. Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.