Desenvolvimento inicial do milho tratado com o preparado homeopático Nux vomica e submetido ao percevejo barriga-verde Dichelops melacanthus Dallas (Heteroptera: Pentatomidae)
PDF

Palavras-chave

Preparados em altas diluições
homeopatia
percevejo barriga verde
inseto
crescimento.

Como Citar

Modolon, T. A., Pietrowski, V., Alves, L. F. A., & Guimarães, A. T. B. (2016). Desenvolvimento inicial do milho tratado com o preparado homeopático Nux vomica e submetido ao percevejo barriga-verde Dichelops melacanthus Dallas (Heteroptera: Pentatomidae). Revista Brasileira De Agroecologia, 11(2). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/15968

Resumo

O objetivo deste trabalho foi avaliar o desenvolvimento inicial de plantas de milho tratadas com o preparado homeopático Nux vomica e submetidas ao percevejo D. melacanthus. Foram realizados experimentos em casa de vegetação onde plantas de milho da variedade Capixaba Incaper 203 foram cultivadas em vasos com volume de 0,5 L. Na primeira fase do estudo o preparado homeopático Nux vomica nas dinamizações 12, 36, 60 e 84DH (decimal hahnemaniana) foram avaliados em três métodos de aplicação: pulverização, irrigação e tratamento de semente. Na segunda fase o estudo as plantas de milho foram irrigadas com as dinamizações sequenciais 32, 33, 34, 35, 36, 37, 38, 39, 40DH. Etanol 1% e água foram considerados tratamentos testemunhas. Para avaliar o efeito do tratamento de sementes, antes do plantio, as mesmas foram imersas em água destilada com os tratamentos na dose de 1 mL.L-1. Após a embebição, as sementes foram semeadas nos vasos. As aplicações dos tratamentos pelo método de pulverização e irrigação foram iniciadas dez dias após a semeadura e seguidas no intervalo de três dias até totalizar cinco aplicações. Cinco dias após a último aplicação dos tratamentos, em ambos experimentos, foram avaliados massa fresca e seca de parte aérea e de raízes, volume das raízes, comprimento da raiz primária, altura e diâmetro do colo das plantas de milho. No sexto dia após a última aplicação dos tratamentos, as parcelas réplicas foram submetidas ao estresse pelo percevejo D. melacanthus por 36 horas. As avaliações foram realizadas após 10 dias da retirada do percevejo, classificando-se as plantas atacadas atribuindo-se notas de dano. Constatou-se que o método de aplicação do preparado homeopático Nux vomica para a cultura do milho por meio da irrigação foi o mais adequado. Além disso, o preparado homeopático Nux vomica 33, 36 e 38DH via irrigação favoreceram o desenvolvimento inicial de parte aérea e de raízes das plantas de milho. Nux vomica 36 e 38DH irrigados ao solo repeliram o percevejo barriga-verde D. melacanthus fazendo com que o mesmo não se alimentasse das plantas de milho.
PDF

Referências

ALMEIDA FILHO, S.L. et al. Características agronômicas de cultivares de milho (Zea mays L.) e qualidade dos componentes e da silagem. Revista Brasileira de Zootecnia, v.28, n.1, p.7-13. 1999.

BAUR, R. et al. Contact chemoreception related to host selection and oviposition behavior in the monarch butterfly, Danaus plexippus. Physiological Entomology, v.23, n.1, p.7-19. 1998.

BETTI, L. et al. Effects of homeopathic dilutions on plants and the potencial use of homeopathy on plant diseases. Fitopatologia Brasileira v.32(Suplemento), p.75-79. 2007.

BONATO, C. M. (Coord.). Homeopatia simples: alternativa para agricultura familiar. Marechal Cândido Rondon: Gráfica Líder, 3 edição. p21-24. 2012.

BONATO, C. M.; PROENÇA, G. T.; REIS, B. Homeopathic drugs Arsenicum album and Sulphur affect the growth and essential oil content in mint (Mentha arvensis L.). Acta Scientiarum. Agronomy v.31, p.101-105. 2009.

BONATO, C.M.; SILVA, E.P. Effect of the homeopathic solution Sulphur on the growth and productivity of radish. Acta Scientiarum. Agronomy, v.25, n.2, p.259-263. 2003.

BRASIL. Farmacopéia homeopática brasileira. 2. ed. São Paulo: Atheneu, 1997. (parte II).

BRASIL. Instrução Normativa Nº 46, de 06 de Outubro de 2011. Diário Oficial da União (D.O.U.) de 07 de Outubro de 2011.

BOERICKE, W. Manual de matéria médica homeopática. Tomo II. São Paulo: Robe Editorial. 2003. 638p.

CARVALHO, L. M. Disponibilidade de água, irradiância, e homeopatia no crescimento e teor de partenolídeo em artemísia. 2001. 139p. Tese (Doutorado em Fitotecnia). Universidade Federal de Viçosa, Viçosa.

CASALI, V. W. D.; ANDRADE, F. M. C. de; DUARTE, E. S. M. Acologia de altas diluições. Viçosa: UFV – Departamento de Fitotecnia. 2009. 537p.

CHOCOROSQUI V. R.; PANIZZI, A. R. Impacto of cultivation systems on Dichelops melacanthus (Dallas) (Heteroptera: Pentatomidae) population and damage and its chemical control on wheat. Neotropical Entomology v. 33, n. 4, p 487-492. 2004.

DIAS, A. F. Repertório Homeopático Essencial. Rio de Janeiro: Cultura Médica. 2004. 1237p.

DICKE, M.; VAN LOON, J.J.A. Multitrophic effects of herbivore-induced plant volatile in an evolutionary context. Entomologia Experimentalis et Applicata, v.97, n.3, p.237-249. 2000.

GRISA, S. et al. Análise quantitativa de plantas de beterraba tratadas com preparados homeopáticos de Staphysagria. Revista Brasileira de Agroecologia, v.2, n.2, p-1046-1049. 2007b.

GRISA, S. et al. Crescimento e produtividade de alface sob diferentes potências do medicamento homeopático Arnica montana. Revista Brasileira de Agroecologia, v.2, n.2, p.1050-1053. 2007a.

GOMES, L. S. et al. Resistência ao acamamento de plantas e ao quebramento do colo em milho tropical. Pesquisa agropecuária brasileira, v.45, n.2, p.140-145. 2010.

HORI, K. Possible causes of disease symptoms resulting fromthe feeding of phytophagous Heteroptera, p 11-35 In: SCHAEFER, C. W.; A. R. PANIZZI (eds.). Heteroptera of economic importance. Boca Raton, 2000.

KHANNA, K. K.; CHANDRA, S. Control of tomato fruit rot by Fusarium roseum with homoeopathic drugs. Indian Phytopathology v.29, p.269-272. 1976.

KOLISKO, E.; KOLISKO, L. Agriculture of tomorrow. England. A. Clunies Ross, 1978. 32p.

LUIS, S. J.; MORENO, N. M. Efecto de Cinco Medicamentos Homeopaticos em La Producción de Peso Fresco, en Cebollín (Allium fistolosum). 2007. Disponível em: http://www.comenius.edu.mx/Cinco_medicamentos_homeop_ticos_en_Ceboll_n.pdf Acesso em: 15 nov. 2013.

MARQUES, R.M.; SILVA, G.G.M.; BONATO,C. M. Effects of high dilutions of Cymbopogon winterianus Jowitt (citronella) on the germination and growth of seedlings of Sida rhombifolia. International Journal of High Dilution Research, v.7, n.22, p.31-35. 2008.

NEUMANN, M.; RESTLE, J.; BRONDANI, I. L. Avaliação de silagens de sorgo (Sorghum bicolor (L.) Moench) ou milho (Zea mays L.) na produção do novilho superprecoce. Revista Brasileira de Milho e Sorgo, v.3, n.3, p. 438-452. 2004.

PANIZZI, A. R.; CHOCOROSQUI, V. R. Pragas: Elas vieram com tudo! Cultivar grandes culturas. Pelotas, n.11, p. 8-10, 1999.

PANIZZI, A. R.; SILVA, F. A. C. Insetos sugadores de sementes (Heteroptera), p.465-522. In: PANIZZI, A. R.; PARRA, J. R. P. (eds.), Bioecologia e nutrição de insetos. Brasília, 1.164p. 2009.

RODRIGUES, R. B. Danos do percevejo-barriga-verde Dichelops melacanthus (Dallas, 1851) (Hemiptera: Pentatomidae) na cultura do Milho. 2011. 105p. Dissertação (Mestrado em Agronomia). Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria.

RUPP, L. C. D. Percepção dos agricultores orgânicos em relação a Anastrepha fraterculus (Wied.) (Diptera: Tephritidae) e efeito de preparados homeopáticos no controle da espécie em pomares de pessegueiro. 2005. 84p. Dissertação (Mestrado em Produção Vegetal). Universidade do Estado de Santa Catarina. Lages.

SALVADORI, J. R. et al. Pragas-de-solo: evolução e manejo. Revista Cultivar Grandes Culturas. n.44, p.18-22. 2002.

SANGOI, L. et al. Incidência e severidade de doenças de quatro híbridos de milho cultivados com diferentes densidades de plantas. Ciência Rural, v.30, n.1, p. 17-21. 2000.

SOSA-GOMES, D. R.; CORSO, I. C.; MORALES, L. Inseticide resistence to endossulfan, monocrotophos and metamidophos in the Neotropical Brown Stink Bug, Euschistus heros (Fabr.) Neotropical Entomology, v.30 n.02, p.317-320, 2001.

STATSOFT, INC. Statistica - Data analysis software system. Version 7.0.61.0. Tulsa: 2004.

TOLEDO, M. V. Fungitoxidade contra Alternaria solani, controle da pinta preta e efeito sobre o crescimento do tomateiro (Lycopersicum esculentum Mill) por medicamentos homeopáticos. 2009. 94p. Dissertação (Mestrado em Agronomia). Universidade do Oeste do Paraná. Marechal Cândido Rondon.

TOLEDO, M. V. Experiências práticas da homeopatia na agricultura no Oeste do Paraná. In: II International Conference on Homeopathy in Agriculture, Maringá. 2013.

VIANA, P, A; CRUZ, I; WAQUIL, J, M. Cultivo do milho. Pragas iniciais. Sete Lagoas Embrapa, 2002. 13p. (Comunicado técnico, 59).

VIJNOVSKY, B. Tratado de matéria médica homeopática. Rio de Janeiro: Editora: Mukunda. 1980. 790p.

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são dos autores, com direitos de primeira publicação para a revista.

Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.