Influência do uso do solo sobre a conservação de carbono em sistemas orgânicos de produção
PDF

Palavras-chave

Quociente Metabólico
Quociente Microbiano
Análise de Componentes Principais

Como Citar

Loureiro, D. C., De-Polli, H., Aquino, A. M. de, Sá, M. M. F., & Guerra, J. G. M. (2016). Influência do uso do solo sobre a conservação de carbono em sistemas orgânicos de produção. Revista Brasileira De Agroecologia, 1(1). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/15790

Resumo

O objetivo do trabalho foi avaliar a influência do uso do solo na biomassa microbiana e frações lábeis do solo de um sistema integrado de produção agroecológica. Foram estudadas três lavouras sob cultivo orgânico de hortaliças (cultivo intensivo, cultivo mínimo e cultivo rotacionado), três pastagens, três remanescentes florestais e três áreas degradadas. A pastagem apresentou o maior teor de carbono da biomassa microbiana do solo, cerca de 35 % acima dos valores observados nos remanescentes florestais. O quociente metabólico indicou alta atividade metabólica da biomassa microbiana do solo (BMS) nas áreas manejadas com culturas agrícolas, com redução média de 30% no teor de BMS-C em relação aos remanescentes florestais. Maiores perdas de C ocorrem nos sistemas de cultivo intensivo de hortaliças com uso frequente de aração e gradagem, alertando para a procura de sistemas de manejo que minimizem o revolvimento do solo e priorizem a manutenção da cobertura vegetal.
PDF

Referências

ADINSOFT. 2004. XLSTAT-PLS 1.8. Statistical software to MS Excel.

ALMEIDA, D.L. et al. Sistema de Produção Agroecológico (“Fazendinha” Agroecológica KM 47). Agricultura Ecológica. 2a Simpósio de Agricultura Orgânica e 1a Encontro de Agricultura Orgânica; Edmilson Ambrosano (coord.).- Guaíba: Agropecuária, 1999. 398p.

ANDERSON, T.H.; DOMSCH, K.H. Application of eco-physiological quotients (qCO2 and qD) on microbial biomasses from soils of different cropping histories. Soil Biology and Biochemistry, v.22, p.251-255, 1990.

BAKER, A.D. et al. Inconsistence in methods for measuring bioavaliable carbon and microbial biomass in soil from the NRCS wet soil monitoring project, An International Workshop on Assessment Methods for soil C Pools. Ohio Univ./USDA, Abstract and Program. p.11, 1998.

BAYER, C.; MIELNICZUK, J. Dinâmica e função da matéria orgânica. In: SANTOS, G.A.; SILVA, L.S.; CANELLAS, L.P.; CAMARGO, F.A.O., eds. Fundamentos da matéria orgânica do solo: Ecossistemas tropicais e subtropicais. 2.ed. Porto Alegre, Metrópole, 2008. p.7-18.

BRASIL – MAPA (Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento). Legislação para os sistemas orgânicos de produção. SINAGRI – Biblioteca Nacional de Agricultura, Brasília, 2009. 195p.

BREMNER, J. M.; MULVANEY, C. S. Nitrogen total. In: PAGE, A. L., ed. Methods of soil analysis. Part 2. 2. ed. Madison: Soil Science Society of America, 1982. p.595-624.

BROOKES, D. C. The use of microbial parameters in monitoring soil pollution by heavy metals. Biology and Fertility of Soils, Berlin, v. 19, p. 269-279, 1995.

CARNEIRO, M.A.C. et al. Atributos bioquímicos em dois solos de cerrado sob diferentes sistemas de manejo e uso. Pesquisa Agropecuária Tropical, v.38, p.276-283, 2008.

CARVALHO, J.L.N. et al. Potencial de sequestro de carbono em diferentes biomas do Brasil. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v.34, p.277-289, 2010.

CATTELAN, A. J.; VIDOR, C. Flutuações na biomassa, atividade e população microbiana do solo em função de variações ambientais. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Campinas, v.14, n.2, p. 133-142, 1990.

CAMARGO, F.A.O. (Eds.) Fundamentos da matéria orgânica do solo - Ecossistemas tropicais e subtropicais. 2ª. Ed. Porto Alegre: Metrópole, 2008, p. 263-276.

EMBRAPA. Manual de Métodos de Analise de Solo. Centro Nacional de Pesquisa de Solos. 2 Edição. Revista atual. Rio de Janeiro, 212 p. 1997.

ESWARAN, H. et al. Organic carbon in soils of the word. Soil Science Society of America Journal, v.57, p.192-194, 1993.

GAMA-RODRIGUES, E.F. da; GAMA-RODRIGUES, A.C. da. Biomassa microbiana e ciclagem de nutrientes. In: SANTOS, G. de A.; SILVA, L.S. da; CANELLAS, L.P.; CAMARGO, F.A. de O. (Ed.). Fundamentos da matéria orgânica do solo: ecossistemas tropicais e subtropicais. 2.ed. rev. e atual. Porto Alegre: Metrópole, 2008. p.159-170.

JANZEN, H.H. et al. Lightfraction organic matter in soils from long-term crop rotations. Soil Science Society of America Journal, v.56, p.1799-1806, 1992.

JENKINSON, D. S.; POWLSON, D. S. The effects of biocidal treatments on metabolism in soil. V. Method for measuring soil biomass. Soil Biology and Biochemistry, v.8, p.209-213, 1976.

KASCHUK, G. et al. Quantifying effects of different agricultural land uses on soil microbial biomass and activity in Brazilian biomes: inferences to improve soil quality. Plant Soil, v.338, p.467-481, 2011.

MOREIRA, F.M.S.; SIQUEIRA, J.O. Microbiologia e bioquímica do solo. 2.ed. Lavras, Universidade Federal de Lavras, 2006. 729p.

NEVES, M. C. P. et al. Sistema integrado de produção agroecológica ou fazendinha agroecológica do km 47. In.: AQUINO, A. & ASSIS, R. L. (org) Agroecologia: princípios e técnicas para uma agricultura orgânica sustentável. Brasília, EMBRAPA- Informação tecnológica. 2005. 147-172 p.

PINHEIRO, E.F.M et al. Aggregation distribution and soil organic matter under diferente tillage systems for vegetable crops in a Red Latosol from Brazil. Soil &Tillage Research, v.77, p.79-84, 2004.

SILVA, J.E.; RESCK, D.V.S. Matéria orgânica do solo. In: Vargas, M. T.; Hungria, M. G. (Ed.). Biologia dos solos dos cerrados. Planaltina: EMBRAPA-CPAC, 1997. p. 465-524.

SILVA, M.B. et al. Atributos biológicos do solo sob influência da cobertura vegetal e do sistema de manejo. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.42, p.1755-1761, 2007.

SILVA, R.R. et al. Biomassa e atividade microbiana em solo sob diferentes sistemas de manejo na região fisiográfica Campos das Vertentes – MG. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v.34, p.1585-1592, 2010.

SISTI, C.P.J. et al. Change in carbon and nitrogen stocks in soil under 13 years of conventional or zero tillage in southern Brazil. Soil and Tillage Research, v.76, p.39-58, 2004.

SIX, J. et al. Soil structure and organic matter: Distribution of aggregatesize classes and aggregate associated carbon. Soil Science Society of America Journal, v.64, p.681-689, 2000.

SOHI, S. et al. Procedure for isolating soil organic matter fractions suitable for modeling. Soil Science Society of America Journal, v.65, p.1121-1128, 2001.

SPARLING, G.P. Ratio of biomass carbon to soil organic carbon as a sensitive indicator of changes in soil organic matter. Australian Journal of Soil Research, v.30, p.195-207, 1992.

SPARLING, G.P. et al. Hot-water-soluble C as a simple measure of labile soil organic matter: the relationship with microbial biomass C. Soil Biology and Biochemistry, v.30 (10-11), p.1472-1479, 1998.

TATE, K. R. et al. A direct extraction method to estimate soil microbial C: effects of experimental variables and some different calibration procedures. Soil Biology and Biochemistry, Oxford, v.20, p.329-335, 1988.

TER BRAAK, C.J.F. Ordination. In: JONGMAN, R.H.G.; TER BRAAK, C.J.F.; TONGEREN, O.F.R. van (Ed.). Data analysis in community and landscape ecology. Cambridge: Cambridge University Press, 1995. p.91-173.

THIOULOUSE, J. et al. ADE-4: a multivariate analysis and graphical display software. Statistics and Computing, v.7, p.75-83, 1997.

VANCE, E. D. et al. An extration method for measuring soil microbial biomass C. Soil Biology and Biochemistry, Oxford, v.19, p.703-707, 1987.

VENZKE FILHO, S.P. et al. Biomassa microbiana do solo em sistema de plantio direto na região de campos gerais - Tibagi, PR. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v.32, p.599-610, 2008.

WALKLEY, A.; BLACK, I. A. An examination of the degtjareff method for determining soil organic matter, and proposed modification of the chromic acid titration method. Soil Science, Baltimore, v. 37, p. 29-38, 1934.

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são da autoria, com direitos de primeira publicação para a revista. Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.