Produção de repolho orgânico com uso de biofertilizante contendo ácido L-glutâmico
PDF

Palavras-chave

aminoácidos
Brassica oleracea var. capitata
produção orgânica

Como Citar

Röder, C., Mógor, Átila F., Gemin, L. G., & Fabbrin, E. G. dos S. (2016). Produção de repolho orgânico com uso de biofertilizante contendo ácido L-glutâmico. Revista Brasileira De Agroecologia, 11(2). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/15789

Resumo

A utilização de um fermentado bacteriano do melaço da cana contendo 30% de ácido L-glutâmico, como biofertilizante na produção de repolho orgânico, foi objeto de estudo neste trabalho. Para tanto, soluções contendo diferentes concentrações do fermentado (0,1; 0,2; 0,4 e 0,8 mL L-1) foram aplicados às folhas das plantas, com intervalos de 7 ou 14 dias. Na colheita, foram determinadas a altura média, diâmetro médio, massa fresca e produtividade média de cabeças de repolho. O efeito biofertilizante ficou caracterizado, especialmente com intervalo de 14 dias entre as aplicações, com incremento linear da produção em função do aumento da concentração do fermentado bacteriano.
PDF

Referências

Beale, S.; Gough, S.P.; Granick, S. Biosynthesis of delta-aminolevulinic acid from the intact carbon skeleton of glutamic acid in Greening Barley. Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America, v. 72, n. 7, p. 2719-272, 1975.

Bettoni, M.M.; Fabbrin, E.G.S.; Olinik, J.R.; Mógor, A.F. Efeito da aplicação foliar de hidrolisado proteico sob a produtividade de cultivares de brócolis. Revista Agro@mbiente On-line, v. 7, n. 2, p. 179-183, maio-agosto, 2013.

Bezerra, P.S.G.; Grangeiro, L.G.; Negreiros, M.Z. de, Medeiros, J.F. de. Utilização de bioestimulante na produção de mudas de alface. Científica, Jaboticabal, v.35, n.1, p.46 – 50, 2007.

Brandão, R.P. Importância dos Aminoácidos na agricultura sustentável. Informativo BioSoja. São Joaquim da Barra, inf.5, p.6-8, 2007.

Dreyer, A.; Coello, N.; Mondiel, E. Utilización de la metodologia de superfície de respuesta de la optimización de um medio de cultivo para la producción de L-lisin por Corynebacterium glutamicum. Agronomía Tropical, v. 50, n. 2, p. 167-88, 2000.

Ferreira, V.M.; Magalhães, P.C.; Durães, F.O.M.; Oliveira, L.E.M. e Purcino, A.A.C. Meta¬bolismo do nitrogênio associado à deficiência hí¬drica e sua recuperação em genótipos de milho. Ciência Rural, 32, 1: 13-17, 2002.

Kerbauy, G. Fisiologia Vegetal. 2 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008. 431p.

MAPA. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. 2012. Acesso em 27 de abril de 2012. Disponível em: http://www.sistemaweb.agricultura.gov.br/sislegis/action/detalhaAto.do?method=consultarLegislacaoFederal

Mógor, A.F.; Ono, E.O.; Rodrigues, J.D.; Mógor, G. Aplicação foliar de extrato de alga, ácido L-glutâmico e cálcio em feijoeiro. Scientia Agraria, Curitiba, v.9, n.4, p.431-437, 2008.

Oliveira, F. L.; Ribas, R.G.T.; Junqueira, R.M.; Padovan, M.P.; Guerra, J.G.M.; Almeida, D.L.; Ribeiro, R.L.D. Desempenho do consórcio entre repolho e rabanete com pré-cultivo de crotalária, sob manejo orgânico. Horticultura Brasileira, Brasília, v.23, n.2, p. 184-188, abr-jun, 2005.

Olinik, J.R.; Mógor, A.F.; Röder, C.; Fabbrin, E.G.S.; Bettoni, M.M.; Poletto, M.R. Desenvolvimento de mudas de repolho em função da aplicação foliar de ácido L-glutâmico a 30%. Horticultura Brasileira 29: S4256-S4260, 2011.

Picolli, E. S.; Marchioro, V. S.; Bellaver, A.; Bellaver, A. Aplicação de produtos a base de aminoácido na cultura do trigo. Cultivando o Saber, v. 2, n. 4, p. 141-148, 2009.

Silva, F.A.S. Sistema de Assistência Estatís¬tica – ASSISTAT versão 7.6 beta (em linha). De¬partamento de Engenharia Agrícola [DEAG], CTRN, Universidade Federal de Campina Gran¬de [UFCG], Paraíba, Brasil, Campina Grande, 2008.

Taiz, L.; Zeiger E. Fisiologia Vegetal. 4ed. Porto Alegre: Artmed, 2009. 848 p.

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são da autoria, com direitos de primeira publicação para a revista. Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.