Lógicas agroextrativistas em contexto de mudanças socioeconômicas no Arquipélago do Marajó (Pará), Amazônia.
PDF

Palavras-chave

Agroextrativismo
Lógicas Familiares
Sustentabilidade.

Como Citar

Carvalho, J. P. L., & Silva, L. M. S. (2015). Lógicas agroextrativistas em contexto de mudanças socioeconômicas no Arquipélago do Marajó (Pará), Amazônia. Revista Brasileira De Agroecologia, 10(1). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/15760

Resumo

Compreender melhor as lógicas produtivas realizadas pelos agroextrativistas do estuário amazônico parece ser um caminho interessante, no rumo de um desenvolvimento regional mais sustentável. Neste estudo, buscou-se compreender como as famílias agroextrativistas têm adaptado seus agroecossistemas familiares ao atual contexto socioeconômico do Arquipélago do Marajó. Em um cenário de forte mudança econômica, social e ambiental e através de uma avaliação sobre o estado de sustentabilidade que considerou o extrativismo como centralidade, foi possível identificar duas lógicas produtivas bem significativas de agroecossistemas familiares. Em uma delas, mais tradicional, se observou uma forte atividade extrativista e pouca inserção no mercado. A segunda lógica já se caracterizou por sua maior inserção no mercado formal, mas com perda significativa de autonomia em seus projetos de vida.
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são do autor, com direitos de primeira publicação para a revista. Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.