Extrato etanólico de própolis no controle da cercosporiose e no desenvolvimento de mudas de cafeeiro
PDF

Palavras-chave

Própolis
doenças de plantas
proteção de plantas
Cercospora coffeicola.

Como Citar

Pereira, C. S., Souza, F. L. F. de, & Godoy, C. A. (2013). Extrato etanólico de própolis no controle da cercosporiose e no desenvolvimento de mudas de cafeeiro. Revista Brasileira De Agroecologia, 8(1). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/12872

Resumo

Objetivou-se, avaliar os efeitos do extrato etanólico de própolis (EEP) sobre a incidência de cercosporiose e o desenvolvimento de mudas de cafeeiro cv. ‘Catuaí vermelho’. O delineamento utilizado foi em blocos casualizados com cinco repetições e dez plantas/parcela. O esquema experimental foi em fatorial 4 x 6. O primeiro fator foram quatro EEPs, confeccionados com diferentes porcentagens de própolis bruta (PB) na composição (1, 4, 7 e 10% de PB e o restante com etanol a 92%). O segundo fator foi a diluição dos EEPs em água: (0; 0,5; 1,0; 1,5; 2,0 e 2,5%). A área abaixo da curva de progresso da cercosporiose foi reduzida de forma quadrática com a aplicação de EEP, independentemente da proporção de própolis bruta adicionada ao extrato. Observou-se, com a curva de comportamento da cercosporiose que, as concentrações 1,0; 1,5 e 2,0% de EEP tiveram menor incidência, 2,5% intermediária e a testemunha e 0,5% de EEP tiveram a maior incidência. Verificou-se ainda que o EEP aumentou a área foliar e o número de folhas/parcela de forma quadrática. O aumento no desenvolvimento das mudas foi atribuído a presença de nutrientes na própolis e a redução na incidência da cercosporiose com aplicação de EEP. O controle da cercosporiose pode ser atribuído a presença de nutrientes, a formação de uma camada de impedimento sobre as folhas com a cera da própolis e efeito indutor de resistência da própolis.
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são da autoria, com direitos de primeira publicação para a revista. Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.